Locais Cristãos de Israel

Locais Cristãos de Israel

A BASÍLICA DA ANUNCIAÇÃO

A Basílica é um dos lugares Cristãos Litúrgicos mais sagrados, construídos sob o tradicional local da anunciação do nascimento de Jesus pelo Anjo Gabriel. Acredita-se que a gruta central tenha sido a casa de Maria. A Basílica foi construída em 1969 sob os restos do sítio dos Cruzados e dos Bizantinos. Esta igreja é uma obrigação para a maioria dos peregrinos Católicos e Ortodoxos.

 

Lucas Capítulo 1

26 Ora, no sexto mês, foi o anjo Gabriel enviado por Deus a uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré, 27 a uma virgem desposada com um varão cujo nome era José, da casa de Davi; e o nome da virgem era Maria. 28 E, entrando o anjo onde ela estava disse: Salve, agraciada; o Senhor é contigo. 29 Ela, porém, ao ouvir estas palavras, turbou-se muito e pôs-se a pensar que saudação seria essa. 30 Disse-lhe então o anjo: Não temas, Maria; pois achaste graça diante de Deus. 31 Eis que conceberás e darás à luz um filho, ao qual porás o nome de Jesus. 32 Este será grande e será chamado filho do Altíssimo; o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi seu pai; 33 e reinará eternamente sobre a casa de Jacó, e o seu reino não terá fim. 34 Então Maria perguntou ao anjo: Como se fará isso, uma vez que não conheço varão? 35 Respondeu-lhe o anjo: Virá sobre ti o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; por isso o que há de nascer será chamado santo, Filho de Deus. 36 Eis que também Isabel, tua parenta concebeu um filho em sua velhice; e é este o sexto mês para aquela que era chamada estéril; 37 porque para Deus nada será impossível. 38 Disse então Maria. Eis aqui a serva do Senhor; cumpra-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo ausentou-se dela.

 

ASHKELON 

Localizada nas costas do Mediterrâneo, Ashkelon é uma das cidades mais velhas e mais importantes em Israel. Foi conquistada pelos Filisteus e transformou-se em uma das suas cinco principais cidades. Desde então, muitas nações viveram lá. Ashkelon abriga alguns dos tesouros mais surpreendentes, incluindo o arco mais velho feito pelo homem no Oriente Médio e um cemitério canino até agora inexplicado.

 

Josué 13

1 Era Josué já velho e avançado em anos, quando lhe disse o Senhor: Já estás velho e avançado em anos, e ainda fica muitíssima terra para se possuir. 2 terra que ainda fica é esta: todas as regiões dos filisteus, bem como todas as dos gesureus, 3 desde Sior, que está defronte do Egito, até o termo de Ecrom para o norte, que se tem como pertencente aos cananeus; os cinco chefes dos filisteus; o gazeu, o asdodeu, o asqueloneu, o giteu, e o ecroneu; também os aveus; 4 no sul toda a terra, dos cananeus, e Meara, que pertence aos sidônios, até Afeca, até o termo dos amorreus;5 como também a terra dos Gebalitas, e todo o Líbano para o nascente do sol, desde Baal-Gade, ao pé do monte Hermom, até a entrada de Hamate; 6 todos os habitantes da região montanhosa desde o Líbano até Misrefote-Maim, a saber, todos os sidônios. Eu os lançarei de diante dos filhos de Israel; tão-somente reparte a terra a Israel por herança, como já te mandei. 7 Reparte, pois, agora esta terra por herança as nove tribos, e a meia tribo de Manasses.

 

AVDAT

Nas montanhas do Neguev as ruínas da cidade de Avdat se levantam acima do riacho da região selvagem de Zin.

Primeiramente, os Israelitas vaguearam aqui. Mais tarde, os Nabateus, filhos do deserto, com seus camelos carregados com especiarias em direção ao Mediterrâneo, encontraram Avdat. Juntamente com suas cidades irmãs Shivta e Mamshit, transformou-se em um ponto de parada para suas caravanas.

Sob o domínio Romano, Avdat cresceu de hospedaria de caravanas para cidade, e quando os Bizantinos trouxeram o Cristianismo ao Neguev, o santuário dos Nabateus tornou-se igreja e floresceu como nunca havia acontecido anteriormente.

Em uma Igreja, com uma vista magnífica do deserto, você verá um batistério em forma de cruz, ao lado de outro menor para bebês. Um espremedor de uvas (para fabricação de vinho) revela habilidades agrícolas antigas que desafia o deserto e hoje em dia os agricultores do Neguev tentam copiar.

Você também pode andar através de um pátio de uma casa Bizantina reconstruída, com uma cruz ainda entalhada em seu teto, remanescências das centenas de moradias Cristãs que existiram uma vez aqui.

 

DOMO DA ROCHA  

Esse magnífico octágono que domina a cidade é o terceiro Santuário mais sagrado do Islã. O pedaço de rocha preta que ele cobre foi uma vez a montanha onde Abraão tentou sacrificar Ismael (não Isaque, como Judeus e Cristãos acreditam), o sítio do Templo de Salomão e o lugar de onde Mohamed partiu em direção aos céus para o seu famoso encontro com o divino – “A Jornada Noturna” . Foram necessários 3 anos para completar o prédio, de 688 a 691, e ele foi construído como uma afronta deliberada a Cristãos e Judeus, cujas crenças o Islã havia imaginado superar. O local tomou emprestado um patrimônio do Judaísmo e seu lugar mais sagrado – o Templo do Monte – o prédio foi construído para ter uma cúpula maior do que a do Santo Sepulcro e os Sírios Cristãos foram forçados a colocar mosaicos na parte interior contendo versos retirados do Alcorão sobre Cristãos mal informados na crença da Trindade.

O Domo da Rocha sobreviveu a todos os terremotos até agora, sendo firmemente construído sobre a rocha, e nunca foi destruído, apenas restaurado. Os novos azulejos externos foram colocados em 1963 e a cúpula foi repintada de dourado em 1993-1994.

 

Gênesis Capitulo 22

1 Sucedeu, depois destas coisas, que Deus provou a Abraão, dizendo-lhe: Abraão! E este respondeu: Eis-me aqui. 2 Prosseguiu Deus: Toma agora teu filho; o teu único filho, Isaque, a quem amas; vai à terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto sobre um dos montes que te hei de mostrar. 3 Levantou-se, pois, Abraão de manhã cedo, albardou o seu jumento, e tomou consigo dois de seus moços e Isaque, seu filho; e, tendo cortado lenha para o holocausto, partiu para ir ao lugar que Deus lhe dissera. 4 Ao terceiro dia levantou Abraão os olhos, e viu o lugar de longe. 5 E disse Abraão a seus moços: Ficai-vos aqui com o jumento, e eu e o mancebo iremos até lá; depois de adorarmos, voltaremos a vós. 6 Tomou, pois, Abraão a lenha do holocausto e a pôs sobre Isaque, seu filho; tomou também na mão o fogo e o cutelo, e foram caminhando juntos. 7 Então disse Isaque a Abraão, seu pai: Meu pai! Respondeu Abraão: Eis-me aqui, meu filho! Perguntou-lhe Isaque: Eis o fogo e a lenha, mas onde está o cordeiro para o holocausto? 8 Respondeu Abraão: Deus proverá para si o cordeiro para o holocausto, meu filho. E os dois iam caminhando juntos. 9 Havendo eles chegado ao lugar que Deus lhe dissera, edificou Abraão ali o altar e pôs a lenha em ordem; o amarrou, a Isaque, seu filho, e o deitou sobre o altar em cima da lenha. 10 E, estendendo a mão, pegou no cutelo para imolar a seu filho. 11 Mas o anjo do Senhor lhe bradou desde o céu, e disse: Abraão, Abraão! Ele respondeu: Eis-me aqui. 12 Então disse o anjo: Não estendas a mão sobre o mancebo, e não lhe faças nada; porquanto agora sei que temes a Deus, visto que não me negaste teu filho, o teu único filho. 13 Nisso levantou Abraão os olhos e olhou, e eis atrás de si um carneiro embaraçado pelos chifres no mato; e foi Abraão, tomou o carneiro e o ofereceu em holocausto em lugar de seu filho. 14 Pelo que chamou Abraão àquele lugar Jeová-Jiré; donde se diz até o dia de hoje, “No monte do Senhor se proverá”.

 

BANIAS

Banias, além de ser um lugar de grande beleza natural, é o antigo local de Cesarea de Filipe, onde Jesus exigiu saber de seus discípulos o que as pessoas diziam quem ele era. A história acrescentou emoção por causa da posição. Cesarea de Filipe era o local central para o Culto do Pan (por isso Panias/Banias), sendo perto da fonte do Jordão, o rio jorrava de uma caverna que levou o povo a declarar que era o rio Styx, o portão do inferno.

 

Marcos – Capítulo 8

27 E saiu Jesus com os seus discípulos para as aldeias de Cesaréia de Filipe, e no caminho interrogou os discípulos, dizendo: Quem dizem os homens que eu sou? 28 Responderam-lhe eles: Uns dizem: João, o Batista; outros: Elias; e ainda outros: Algum dos profetas. 29 Então lhes perguntou: Mas vós, quem dizeis que eu sou? Respondendo, Pedro lhe disse: Tu és o Cristo. 30 E ordenou-lhes Jesus que a ninguém dissessem aquilo a respeito dele.

Lucas Capítulo 1

26 Ora, no sexto mês, foi o anjo Gabriel enviado por Deus a uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré, 27 a uma virgem desposada com um varão cujo nome era José, da casa de Davi; e o nome da virgem era Maria. 28 E, entrando o anjo onde ela estava disse: Salve, agraciada; o Senhor é contigo. 29 Ela, porém, ao ouvir estas palavras, turbou-se muito e pôs-se a pensar que saudação seria essa. 30 Disse-lhe então o anjo: Não temas, Maria; pois achaste graça diante de Deus. 31 Eis que conceberás e darás à luz um filho, ao qual porás o nome de Jesus. 32 Este será grande e será chamado filho do Altíssimo; o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi seu pai; 33 e reinará eternamente sobre a casa de Jacó, e o seu reino não terá fim. 34 Então Maria perguntou ao anjo: Como se fará isso, uma vez que não conheço varão? 35 Respondeu-lhe o anjo: Virá sobre ti o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; por isso o que há de nascer será chamado santo, Filho de Deus. 36 Eis que também Isabel, tua parenta concebeu um filho em sua velhice; e é este o sexto mês para aquela que era chamada estéril; 37 porque para Deus nada será impossível. 38 Disse então Maria. Eis aqui a serva do Senhor; cumpra-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo ausentou-se dela.

 

BEERSHEVA

Beersheva é conhecida como a cidade onde Abraão acampou durante os meses do inverno, movendo-se até Hebron ou além no verão. A cidade possui um poço que Abraão possa ter escavado. As escavações revelaram os restos das paredes da cidade, fortificações e portões, armazéns, prédios públicos e quarteirões. Revelou também um altar “com chifres”, que acredita-se ser similar ao projeto do altar no Templo de Salomão.

 

Gênesis Capítulo 21

22 Naquele mesmo tempo Abimeleque, com Ficol, o chefe do seu exército, falou a Abraão, dizendo: Deus é contigo em tudo o que fazes;23 agora pois, jura-me aqui por Deus que não te haverás falsamente comigo, nem com meu filho, nem com o filho do meu filho; mas segundo a beneficência que te fiz, me farás a mim, e à terra onde peregrinaste. 24 Respondeu Abraão: Eu jurarei. 25 Abraão, porém, repreendeu a Abimeleque, por causa de um poço de água que os servos de Abimeleque haviam tomado à força. 26 Respondeu-lhe Abimeleque: Não sei quem fez isso; nem tu me fizeste saber, nem tampouco ouvi eu falar nisso, senão hoje. 27 Tomou, pois, Abraão ovelhas e bois, e os deu a Abimeleque; assim fizeram entre, si um pacto. 28 Pôs Abraão, porém, à parte sete cordeiras do rebanho. 29 E perguntou Abimeleque a Abraão: Que significam estas sete cordeiras que puseste à parte? 30 Respondeu Abraão: Estas sete cordeiras receberás da minha mão para que me sirvam de testemunho de que eu cavei este poço. 31 Pelo que chamou aquele lugar Beer-Seba, porque ali os dois juraram. 32 Assim fizeram uma pacto em Beer-Seba. Depois se levantaram Abimeleque e Ficol, o chefe do seu exército, e tornaram para a terra dos filisteus. 33 Abraão plantou uma tamargueira em Beer-Seba, e invocou ali o nome do Senhor, o Deus eterno. 34 E peregrinou Abraão na terra dos filisteus muitos dias.

 

BEIT SHEAN

Beit Shean, sul do Mar da Galiléia deve ter sido familiar aos primeiros crentes em Jesus, pois era a capital das cidades de Decápolis, que através da palavra de Jesus, espalhou milagres e ensinamentos.(Mateus 4:25, Marcos 5:20)

Também foi cenário de uma tragédia,mais de um milênio antes. Os Filisteus penduraram o corpo de Saul em suas muralhas.(1Samel. 31:10). Tel Beit Shean,com seus 5.000 anos de história, eleva-se majestosa sobre as ruínas dos Romanos e mais tarde a cidade Cristã que tomou forma.

Os visitantes passeiam pelas ruas antigas, estarrecidos pelas colunas derrubadas pelo terremoto de 749 A.D.; um admirável teatro voltou a ser usado; uma casa de banhos  que foi reconstruída para mostrar aos visitantes os passatempos dos tempos antigos, mais tarde inclui um batistério e igrejas embelezavam seus subúrbios.O campo fértil circunvizinho de Gilead á Jezreel, e Gilboa é ainda digno do antigo epíteto “Portões do Jardim do Éden”.

 

1 Samuel 31

8 No dia seguinte, quando os filisteus vieram para despojar os mortos, acharam Saul e seus três filhos estirados no monte Gilboa.9 Então cortaram a cabeça a Saul e o despejaram das suas armas; e enviaram pela terra dos filisteus, em redor, a anunciá-lo no templo dos seus ídolos e entre e povo,10 Puseram as armas de Saul no templo de Astarote; e penduraram o seu corpo no muro de Bete-Sã.11 Quando os moradores de Jabes-Gileade ouviram isso a respeito de Saul, isto é, o que os filisteus lhe tinham feito,12 todos os homens valorosos se levantaram e, caminhando a noite toda, tiraram e corpo de Saul e os corpos de seus filhos do muro de Bete-Sã; e voltando a Jabes, ali os queimaram.13 Depois tomaram os seus ossos, e os sepultaram debaixo da tamargueira, em Jabes, e jejuaram sete dias.

 

BETSAIDA 

Está claro que Jesus conheceu bem Betsaida (Mateus, 11:21). Os viajantes cristãos no início do cristianismo também conheciam a cidade, que se encontrava ao norte do Mar da Galileia, e era o lar de Pedro, André e Filipe (João 1:44) e, de acordo com a tradição, Zebedeu e seus filhos. Foi lá também que alimentaram 5000 pessoas, de acordo com Lucas (9:10-17) e onde Jesus curou o homem cego (Marcos 8:22-26).

Nos séculos que seguiram, quando viajar era difícil, este local foi esquecido! Agora, graças à arqueologia, Betsaida reabre as suas portas para visitantes. Seguindo a redescoberta de Cafernaum, e mais recentemente Korazim, Betsaida é a última das três cidades do “Triângulo Evangélico” do ministério da Galileia de Jesus que voltou a se juntar aos itinerários cristãos.

Entre os muitos tesouros produzidos por este monte de 21 acres se encontra uma casa de um pescador, identificada por pesos de rede, uma âncora, um anzol e até uma agulha para consertar redes, o que lembra os discípulos pescadores de Betsaida. O mais excitante: os visitantes podem até andar por uma rua pavimentada da época de Jesus.

Os visitantes também podem aprender ali a história do antigo testamento; os acadêmicos dizem que esta foi a capital de Gessur, lar de Maaca, esposa do jovem Davi (2 Sam 3:3). Portas massivas queimadas evidenciam a destruição do norte feita pelos assírios em732 aC, como registrado em 2 Reis 18:10.

Betsaida é um local abrigado da luz, com uma maravilhosa vista para o Mar da Galileia, e assentos de pedras naturais que a tornam o local perfeito para o estudo da bíblia e a oração.

 

CESAREA

Cesarea foi construída como parte de um plano ambicioso de Herodes o Grande para “helenizar” a Terra Santa no século 1 AEC. Ele escolheu o local de um pequeno porto Fenício chamado Torre Stratom e planejou uma clássica cidade Grega completa, com anfiteatro e estádio. Herodes também construiu um porto artificial fazendo uso de concreto debaixo da água – primeiro uso de concreto feito dessa forma. Durante o domínio Romano Cesarea foi a capital da Palestina. Foi aqui que Cornelius, o centurião Romano, foi convertido por Pedro, Paulo foi preso antes de ser levado a Roma. E onde os líderes revoltosos de Bar Kochba foram julgados e executados, incluindo Akiva.

Cesarea é muito conhecida como um sítio arqueológico que mantém preservados o teatro original construído por Herodes, a réplica da inscrição de Poncio Pilatus, edificações Bizantinas, assim como casas de banhos, armazéns, um anfiteatro e o porto.

 

Atos Capítulo 10

1 Um homem em Cesarea, por nome Cornélio, centurião da corte chamada italiana, 2 piedoso e temente a Deus com toda a sua casa, e que fazia muitas esmolas ao povo e de contínuo orava a Deus, 3 cerca da hora nona do dia, viu claramente em visão um anjo de Deus, que se dirigia para ele e lhe dizia: Cornélio! 4 Este, fitando nele os olhos e atemorizado, perguntou: Que é, Senhor? O anjo respondeu-lhe: As tuas orações e as tuas esmolas têm subido para memória diante de Deus;5 agora, pois, envia homens a Jope e manda chamar a Simão, que tem por sobrenome Pedro;6 este se acha hospedado com um certo Simão, curtidor, cuja casa fica à beira-mar”. 7 Logo que se retirou o anjo que lhe falava, Cornélio chamou dois dos seus domésticos e um piedoso soldado dos que estavam a seu serviço;8 e, havendo contado tudo, os enviou a Jope.

 

Atos Capítulo 23

23 Chamando dois centuriões, disse: Aprontai para a terceira hora da noite duzentos soldados de infantaria , setenta de cavalaria e duzentos lanceiros para irem até Cesarea;24 e mandou que aparelhassem cavalgaduras para que Paulo montasse, a fim de o levarem salvo ao governador Félix. 25 E escreveu-lhe uma carta nestes termos: 26 Cláudio Lísias, ao excelentíssimo governador Félix, saúde. 27 Este homem foi preso pelos judeus, e estava a ponto de ser morto por eles quando eu sobrevim com a tropa e o livrei ao saber que era romano. 28 Querendo saber a causa por que o acusavam, levei-o ao sinédrio deles;29 e achei que era acusado de questões da lei deles, mas que nenhum crime havia nele digno de morte ou prisão.30 E quando fui informado que haveria uma cilada contra o homem, logo to enviei, intimando também aos acusadores que perante ti se manifestem contra ele. 31 Os soldados, pois, conforme lhes fora mandado, tomando a Paulo, o levaram de noite a Antipátride. 32 Mas no dia seguinte, deixando os de cavalaria irem com ele, voltaram à fortaleza;33 os quais, logo que chegaram a Cesarea e entregaram a carta ao governador, apresentaram-lhe também Paulo. 34 Tendo lido a carta, o governador perguntou de que província ele era; e, sabendo que era da Cilícia, 35 disse: Ouvir-te-ei quando chegarem também os teus acusadores; e mandou que fosse guardado no pretório de Herodes.

 

CANÁ DA GALILEIA

A vila de Cana (Kfar Kana), é sagrada para os Cristãos por ter sido o lugar onde Jesus realizou seu primeiro milagre, transformando água em vinho.

 

João Capítulo 2

1 Três dias depois, houve um casamento em Cana da Galiléia, e estava ali a mãe de Jesus; 2 e foi também convidado Jesus com seus discípulos para o casamento. 3 E, tendo acabado o vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Eles não têm vinho. 4 Respondeu-lhes Jesus: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora. 5 Disse então sua mãe aos serventes: Fazei tudo quanto ele vos disser. 6 Ora, estavam ali postas seis talhas de pedra, para as purificações dos judeus, e em cada uma delas cabiam duas ou três metretas. 7 Ordenou-lhe Jesus: Enchei de água essas talhas. E encheram-nas até em cima. 8 Então lhes disse: Tirai agora, e levai ao mestre-sala. E eles o fizeram. 9 Quando o mestre-sala provou a água tornada em vinho, não sabendo donde era, se bem que o sabiam os serventes que tinham tirado a água, chamou o mestre-sala ao noivo 10 e lhe disse: Todo homem põe primeiro o vinho bom e, quando já tem bebido bem, então o inferior; mas tu guardaste até agora o bom vinho. 11 Assim deu Jesus início aos seus sinais em Cana da Galiléia, e manifestou a sua glória; e os seus discípulos creram nele.

 

CAFARNAUM 

Cafarnaum (Kfar Nachum) era uma cidade Judaica localizada perto de Tagba (sete nascentes), na costa do mar da Galiléia onde Jesus baseou seu Ministério Galileu. O Novo Testamento registra Jesus ensinando na sinagoga e realizando curas. Era o lar adotado por Pedro, cuja casa permanece abaixo da atual igreja. Uma presença Cristã contínua é atestada tanto arqueologicamente como textualmente. Este é um lugar de visitação obrigatória para peregrinos.

 

Marcos Capítulo 1

21 Entraram em Cafarnaum; e, logo no sábado, indo ele à sinagoga, pôs-se a ensinar. 22 E maravilhavam-se da sua doutrina, porque os ensinava como tendo autoridade, e não como os escribas. 23 Ora, estava na sinagoga um homem possesso dum espírito imundo, o qual gritou: 24 Que temos nós contigo, Jesus Nazareno? Vieste destruir-nos? Bem sei quem és: o Santo de Deus. 25 Mas Jesus o repreendeu, dizendo: Cala-te, e sai dele.

26 Então o espírito imundo, convulsionando-o e clamando com grande voz, saiu dele. 27 E todos se maravilharam a ponto de perguntarem entre si, dizendo: Que é isto? Uma nova doutrina com autoridade! Pois ele ordena aos espíritos imundos, e eles lhe obedecem! 28 E logo correu a sua fama por toda a região da Galiléia.

 

CAPELA DA ASCENÇÃO 

Existem três Capelas da Ascensão construídas no Monte das Oliveiras. Esta capela (agora uma mesquita) reinvidica ser a mais antiga. Sua fundação data da época de Poimenia no final do século IV, mas assim como o Santo Sepulcro a estrutura atual é de origem dos Cruzados.

 

Lucas Capítulo 24

50 Então os levou fora, até Betânia; e levantando as mãos, os abençoou. 51 E aconteceu que, enquanto os abençoava, apartou-se deles; e foi elevado ao céu. 52 E, depois de o adorarem, voltaram com grande júbilo para Jerusalém; 53 e estavam continuamente no templo, bendizendo a Deus.

 

CAPELA DA PRIMAZIA DE PEDRO

Esta igreja localiza-se aproximadamente a 450 metros da Igreja da Multiplicação dos Pães e Peixes, no mesmo complexo das “sete nascentes”. Ela comemora a visão da pós-ressurreição de Jesus no Evangelho de João quando, ao ver os discípulos pescando, ele os chama para o lado do lago para o café da manhã, ao mesmo tempo perdoando Pedro por sua fraqueza na noite do julgamento. A igreja é construída sobre uma pedra onde o fogo era aceso

 

João Capítulo 21

1 Depois disto manifestou-se Jesus outra vez aos discípulos junto do mar de Tiberíades; e manifestou-se deste modo: 2 Estavam juntos Simão Pedro, Tomé, chamado Dídimo, Natanael, que era de Cana da Galiléia, os filhos de Zebedeu, e outros dois dos seus discípulos. 3 Disse-lhes Simão Pedro: Vou pescar. Responderam-lhe: Nós também vamos contigo. Saíram e entraram no barco; e naquela noite nada apanharam. 4 Mas ao romper da manhã, Jesus se apresentou na praia; todavia os discípulos não sabiam que era ele. 5 Disse-lhes, pois, Jesus: Filhos, não tendes nada que comer? Responderam-lhe: Não. 6 Disse-lhes ele: Lançai a rede à direita do barco, e achareis. Lançaram-na, pois, e já não a podiam puxar por causa da grande quantidade de peixes. 7 Então aquele discípulo a quem Jesus amava disse a Pedro: É o Senhor. Quando, pois, Simão Pedro ouviu que era o Senhor, cingiu-se com a túnica, porque estava despido, e lançou-se ao mar; 8 mas os outros discípulos vieram no barquinho, puxando a rede com os peixes, porque não estavam distantes da terra senão cerca de duzentos côvados. 9 Ora, ao saltarem em terra, viram ali brasas, e um peixe posto em cima delas, e pão. 10 Disse-lhes Jesus: Trazei alguns dos peixes que agora apanhastes. 11 Entrou Simão Pedro no barco e puxou a rede para terra, cheia de cento e cinqüenta e três grandes peixes; e, apesar de serem tantos, não se rompeu a rede. 12 Disse-lhes Jesus: Vinde, comei. Nenhum dos discípulos ousava perguntar-lhe: Quem és tu? sabendo que era o Senhor. 13 Chegou Jesus, tomou o pão e deu-lho, e semelhantemente o peixe. 14 Foi esta a terceira vez que Jesus se manifestou aos seus discípulos, depois de ter ressurgido dentre os mortos. 15 Depois de terem comido, perguntou Jesus a Simão Pedro: Simão Pedro: Simão, filho de João, amas-me mais do que estes? Respondeu-lhe: Sim, Senhor; tu sabes que te amo. Disse-lhe: Apascenta os meus cordeirinhos. 16 Tornou a perguntar-lhe: Simão, filho de João, amas-me? Respondeu-lhe: Sim, Senhor; tu sabes que te amo. Disse-lhe: Pastoreia as minhas ovelhas. 17 Perguntou-lhe terceira vez: Simão, filho de João, amas-me? Entristeceu-se Pedro por lhe ter perguntado pela terceira vez: Amas-me? E respondeu-lhe: Senhor, tu sabes todas as coisas; tu sabes que te amo. Disse-lhe Jesus: Apascenta as minhas ovelhas. 18 Em verdade, em verdade te digo que, quando eras mais moço, te cingias a ti mesmo, e andavas por onde querias; mas, quando fores velho, estenderás as mãos e outro te cingirá, e te levará para onde tu não queres. 19 Ora, isto ele disse, significando com que morte havia Pedro de glorificar a Deus. E, havendo dito isto, ordenou-lhe: Segue-me. 20 E Pedro, virando-se, viu que o seguia aquele discípulo a quem Jesus amava, o mesmo que na ceia se recostara sobre o peito de Jesus e perguntara: Senhor, quem é o que te trai? 21 Ora, vendo Pedro a este, perguntou a Jesus: Senhor, e deste que será? 22 Respondeu-lhe Jesus: Se eu quiser que ele fique até que eu venha, que tens tu com isso? Segue-me tu. 23 Divulgou-se, pois, entre os irmãos este dito, que aquele discípulo não havia de morrer. Jesus, porém, não disse que não morreria, mas “se eu quiser que ele fique até que eu venha, que tens tu com isso?” 24 Este é o discípulo que dá testemunho destas coisas e as escreveu; e sabemos que o seu testemunho é verdadeiro. 25 E ainda muitas outras coisas há que Jesus fez; as quais, se fossem escritas uma por uma, creio que nem ainda no mundo inteiro caberiam os livros que s e escrevessem.

 

O CENÁCULO

O Cenáculo é o lugar tradicional da “sala superior” onde a Última Ceia aconteceu. Os cruzados, sendo literalistas, certificaram-se que sua capela ficasse no segundo andar da edificação e a “Tumba de David” estivesse subseqüentemente instalada abaixo. Também está associado com a sala pertencente à mãe de João Marcos na qual os discípulos foram batizados pelo Espírito Santo, mas isto novamente é difícil de ser verificado.

Em 1335, 80 anos após a queda do império cruzado, os Franciscanos que permaneceram em seus postos como Curadores da Terra Santa compraram o local do Califado. Eles estavam envolvidos em uma discussão com os Judeus sobre a Tumba de David no século XV, apenas resolvida pelos Muçulmanos que tomaram conta do local e transformaram todo o lugar em uma mesquita em 1551. Hoje, Cristãos e Judeus ainda compartilham o prédio.

 

Lucas Capítulo 22

7 Ora, chegou o dia dos pães ázimos, em que se devia imolar a páscoa; 8 e Jesus enviou a Pedro e a João, dizendo: Ide, preparai-nos a páscoa, para que a comamos. 9 Perguntaram-lhe eles: Onde queres que a preparemos? 10 Respondeu-lhes: Quando entrardes na cidade, sair-vos-á ao encontro um homem, levando um cântaro de água; segui-o até a casa em que ele entrar. 11 E direis ao dono da casa: O Mestre manda perguntar-te: Onde está o aposento em que hei de comer a páscoa com os meus discípulos? 12 Então ele vos mostrará um grande cenáculo mobiliado; aí fazei os preparativos. 13 Foram, pois, e acharam tudo como lhes dissera e prepararam a páscoa. 14 E, chegada a hora, pôs-se Jesus à mesa, e com ele os apóstolos. 15 E disse-lhes: Tenho desejado ardentemente comer convosco esta páscoa, antes da minha paixão;16 pois vos digo que não a comerei mais até que ela se cumpra no reino de Deus. 17 Então havendo recebido um cálice, e tendo dado graças, disse: Tomai-o, e reparti-o entre vós; 18 porque vos digo que desde agora não mais beberei do fruto da videira, até que venha o reino de Deus. 19 E tomando pão, e havendo dado graças, partiu-o e deu-lho, dizendo: Isto é o meu corpo, que é dado por vós; fazei isto em memória de mim. 20 Semelhantemente, depois da ceia, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo pacto em meu sangue, que é derramado por vós. 21 Mas eis que a mão do que me trai está comigo à mesa. 22 Porque, na verdade, o Filho do homem vai segundo o que está determinado; mas ai daquele homem por quem é traído! 23 Então eles começaram a perguntar entre si qual deles seria o que ia fazer isso.

 

DOMINUS FLEVIT

“O Senhor chorou” – essa bela capela com os contornos de uma lágrima estilizada foi construída em 1955 sobre o sítio de uma construção Bizantina. Ela homenageia a ocasião em que Jesus, olhando para Jerusalém e percebendo que seria destruída pela violência, chorou amargamente. Nas suas fundações estão os restos de uma igreja Bizantina, bem como parte de um cemitério da primeira metade do século que circundava a cidade. Uma vista maravilhosa.

 

Lucas Capítulo 19

41 E quando chegou perto e viu a cidade, chorou sobre ela, 42 dizendo: Ah! se tu conhecesses, ao menos neste dia, o que te poderia trazer a paz! Mas agora isso está encoberto aos teus olhos. 43 Porque dias virão sobre ti em que os teus inimigos te cercarão de trincheiras, e te sitiarão, e te apertarão de todos os lados, 44 e te derrubarão, a ti e aos teus filhos que dentro de ti estiverem; e não deixarão em ti pedra sobre pedra, porque não conheceste o tempo da tua visitação.

 

DOMO DA ROCHA

Esse magnífico octágono que domina a cidade é o terceiro Santuário mais sagrado do Islã. O pedaço de rocha preta que ele cobre foi uma vez a montanha onde Abraão tentou sacrificar Ismael (não Isaque, como Judeus e Cristãos acreditam), o sítio do Templo de Salomão e o lugar de onde Mohamed partiu em direção aos céus para o seu famoso encontro com o divino – “A Jornada Noturna” . Foram necessários 3 anos para completar o prédio, de 688 a 691, e ele foi construído como uma afronta deliberada a Cristãos e Judeus, cujas crenças o Islã havia imaginado superar. O local tomou emprestado um patrimônio do Judaísmo e seu lugar mais sagrado – o Templo do Monte – o prédio foi construído para ter uma cúpula maior do que a do Santo Sepulcro e os Sírios Cristãos foram forçados a colocar mosaicos na parte interior contendo versos retirados do Alcorão sobre Cristãos mal informados na crença da Trindade.

O Domo da Rocha sobreviveu a todos os terremotos até agora, sendo firmemente construído sobre a rocha, e nunca foi destruído, apenas restaurado. Os novos azulejos externos foram colocados em 1963 e a cúpula foi repintada de dourado em 1993-1994.

Gênesis Capitulo 22

1 Sucedeu, depois destas coisas, que Deus provou a Abraão, dizendo-lhe: Abraão! E este respondeu: Eis-me aqui. 2 Prosseguiu Deus: Toma agora teu filho; o teu único filho, Isaque, a quem amas; vai à terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto sobre um dos montes que te hei de mostrar. 3 Levantou-se, pois, Abraão de manhã cedo, albardou o seu jumento, e tomou consigo dois de seus moços e Isaque, seu filho; e, tendo cortado lenha para o holocausto, partiu para ir ao lugar que Deus lhe dissera. 4 Ao terceiro dia levantou Abraão os olhos, e viu o lugar de longe. 5 E disse Abraão a seus moços: Ficai-vos aqui com o jumento, e eu e o mancebo iremos até lá; depois de adorarmos, voltaremos a vós. 6 Tomou, pois, Abraão a lenha do holocausto e a pôs sobre Isaque, seu filho; tomou também na mão o fogo e o cutelo, e foram caminhando juntos. 7 Então disse Isaque a Abraão, seu pai: Meu pai! Respondeu Abraão: Eis-me aqui, meu filho! Perguntou-lhe Isaque: Eis o fogo e a lenha, mas onde está o cordeiro para o holocausto? 8 Respondeu Abraão: Deus proverá para si o cordeiro para o holocausto, meu filho. E os dois iam caminhando juntos. 9 Havendo eles chegado ao lugar que Deus lhe dissera, edificou Abraão ali o altar e pôs a lenha em ordem; o amarrou, a Isaque, seu filho, e o deitou sobre o altar em cima da lenha. 10 E, estendendo a mão, pegou no cutelo para imolar a seu filho. 11 Mas o anjo do Senhor lhe bradou desde o céu, e disse: Abraão, Abraão! Ele respondeu: Eis-me aqui. 12 Então disse o anjo: Não estendas a mão sobre o mancebo, e não lhe faças nada; porquanto agora sei que temes a Deus, visto que não me negaste teu filho, o teu único filho. 13 Nisso levantou Abraão os olhos e olhou, e eis atrás de si um carneiro embaraçado pelos chifres no mato; e foi Abraão, tomou o carneiro e o ofereceu em holocausto em lugar de seu filho. 14 Pelo que chamou Abraão àquele lugar Jeová-Jiré; donde se diz até o dia de hoje, “No monte do Senhor se proverá.

 

EIN GEDI

Um esplêndido oásis na região selvagem, Ein Gedi é o lugar onde David provou sua lealdade a Saul, não o matando enquanto ele se aliviava. Existem também inúmeras referências a este lugar na Bíblia Hebraica como um lugar de beleza.

1 Samuel Capítulo 24

1 Ora, quando Saul voltou de perseguir os filisteus, foi-lhe dito: “Eis que Davi está no deserto de En-Gedi”. 2 Então tomou Saul três mil homens, escolhidos dentre todo o Israel, e foi em busca de Davi e dos seus homens em frente das Rochas das Cabras Montesas. 3 E chegou no caminho a uns currais de ovelhas, onde havia uma caverna; e Saul entrou nela para aliviar o ventre. Ora Davi e os seus homens estavam sentados na parte interior da caverna. 4 Então os homens de Davi lhe disseram: “Eis aqui o dia do qual o Senhor te disse: ‘Eis que entrego o teu inimigo nas tuas mãos; far-lhe-ás como parecer bem aos teus olhos’”. Então Davi se levantou, e de mansinho cortou a orla do manto de Saul. 5 Sucedeu, porém, que depois doeu o coração de Davi, por ter cortado a orla do manto de Saul. 6 E disse aos seus homens: “O Senhor me guarde de que eu faça tal coisa ao meu senhor, ao ungido do Senhor, que eu estenda a minha mão contra ele, pois é o ungido do Senhor”. 7 com essas palavras Davi conteve os seus homens, e não lhes permitiu que se levantassem contra Saul. E Saul se levantou da caverna, e prosseguiu o seu caminho.

 

EIN KAREM

Nos braços das colinas com terraços a sudoeste de Jerusalém se encontra a vila de Ein Karem, onde travessas pitorescas conduzem ao ponto que tradicionalmente é onde Isabel “sentiu-se viva” quando encontrou a sua parenta Maria, e onde João Batista nasceu e foi criado.

Lucas 1:39 nos conta que depois da anunciação Maria correu “para uma cidade no país montanhoso de Judá” para visitar Isabel, que também estava grávida. Há séculos atrás os cristãos começaram a marcar a cidade natal de Isabel em Ein Karem, cujo nome significa “fonte do vinhedo”.

Apesar de estar a uma distância curta de carro dos bairros modernos de Jerusalém, chegando lá é possível deixar para trás o mundo de hoje e entrar no passado. Ainda é possível encontrar a fonte, onde, sem dúvidas, Isabel retirou água para a sua casa.  Se for o fim do inverno, é possível ver as amendoeiras regozijando nas suas flores cor-de-rosa e brancas; no verão as vinhas nos terraços ainda dão frutos. Enquanto se observa as crianças a brincar no parquinho da vila, é fácil imaginar a João como um garotinho trepando por estas mesmas ladeiras.

Ein Karem se encontrava a menos de um dia de caminhada desde o Templo em Jerusalém, para o qual Zacarias, o pai de João, seria chamado para exercer as suas obrigações de sacerdote. Foi enquanto Zacarias servia no altar do incenso do Templo que ele viu o anjo Gabriel, que lhe disse que a sua velha esposa, Isabel, daria a luz depois de anos de infertilidade. O choque deve ter feito Zacarias esquecer as boas maneiras em encontros angelicais! Imediatamente ele começou a questionar as palavras do anjo, e por isso ficou mudo até a cerimônia que deu o nome ao seu filho, durante a circuncisão.

No interior refrescante e sossegado das igrejas de Ein Karem é possível ver onde os antigos cristãos marcaram o local da visita de Maria a Isabel, e onde Maria pronunciou o seu grande poema de glorificação que começa com as palavras “A minha alma engrandece o Senhor…” (Lucas 1:46). Mantenha a sua bíblia aberta no Evangelho de Lucas aqui, porque nos jardins, nos cantos quietos e nos pátios você também pode parar sobre a história do batizado de João por Isabel (Lucas 1:59-60) e o poema do próprio Zacarias de glorificação e profecia (Lucas 1:67-79). Há muitas lendas sobre os primeiros anos de João. Uma conta a sua sobrevivência milagrosa do assassinato dos inocentes feito pelo Rei Herodes. João tinha só alguns meses a mais que Jesus, por isso quando Herodes deu a ordem de matar todos os meninos “…de Belém e de todo o território vizinho…” (Mateus,  2:16), João também estava correndo um perigo mortal. Diz-se que Isabel conseguiu esconder o seu filho numa caverna (ainda mostrada a visitantes) e apesar dos soldados se aproximarem, eles, sem saber, ignoraram este esconderijo.

Ein Karem, tão perto da cidade, mas com um clima tão diferente é também uma grande atração para os israelenses, que passeiam nas suas ruelas como você, explorando as igrejas, olhando as lojas, saboreando uma xícara de café ou uma refeição e, como você, desfrutando de um interlúdio perfeito.

 

GALILEIA E O MAR DA GALILEIA

O tempo parece que parou onde os montes verdes da Galileiadescem para o lago mais famoso na bíblia. Este é o segredo da força desta região, que move os visitantes cristãos. Você não tem que fechar os seus olhos para imaginar a Jesus aqui – você tem que abrí-los.

Como nos diz Mateus 4:13, Jesus foi de Nazaré, no centro da Galileia, para Cafernaum na praia do lago que eles chamavam Genesaré. Aqui ele juntou os seus primeiros discípulos – pescadores que ele encontrou jogando as suas redes em águas rasas (Mateus 4:18). Você pode andar por aquela praia, nos mesmos lugares onde Jesus e seus discípulos andaram, e ver a bíblia ganhar vida.

Aqui você vai querer se levantar cedo, ao amanhecer, quando os antigos pescadores costumavam voltar para casa com o que pescaram- ou sem. Enquanto você observa a loucura da alimentação dos peixes perto da margem da praia, você pode entender porque Jesus escolheu pescadores para serem os seus primeiros apóstolos: “O Reino dos Céus é ainda como uma rede lançada ao mar …” (Mateus 13:47). Este foi o pano de fundo para a alimentação dos 4000 (Mateus  15:32-37) e dos 5000 (Marcos 6:39-43), com alguns pães e peixes. As amadas histórias das pescas miraculosas são lembradas aqui, talvez e especialmente aquela em João 21, onde Pedro se reconciliou com Jesus (João 21:15-17). O drama dos demônios na terra dos gadaneros (Mateus  8:28-33) recebe uma nova forma quando você se encontra no penhasco marcado há séculos atrás pelos cristãos como o lugar onde os porcos voaram para o lago. O sítio, perdido durante séculos, foi redescoberto e restaurado há poucas décadas atrás, por arqueólogos israelenses.

Os visitantes cristãos adoram andar pelo caminho de pedras criado pelo Ministério do Turismo ao longo da parte norte do lago, desde perto de Cafernaum ao lugar da multiplicação dos pães e dos peixes. Enquanto você anda por lá, é impossível não sentir a terra vibrar com histórias antigas de glória e uma fé simples. Olhe em volta – no inverno e na primavera os “lírios do campo” (Mateus  6:28) são abundantes, e as sementes prosperam nos seus leitos de um solo bom (Marcos 4:8). No final do verão e no outono os espinhos obstrutores da parábola do semeador ainda enchem estes mesmos campos, da forma que Jesus descreveu (Marcos 4:7).

No norte da Galileia as montanhas surgem em ambos os lados da estrada do vale, que costumava levar para os antigos reinados do norte. Aqui se pode encontrar a Hazor, conquistada por Josué e construída por Salomão.  Você também vera a Dan, onde pode ficar no Lugar Alto que apesar dos esforços de Jeroboam , não se comparava a Jerusalém, e Caesarea Philippi na fonte do rio Jordão, onde Jesus perguntou aos seus discípulos “Quem dizem as pessoas que eu sou?” (Marcos 8:27).

Estes são os momentos, quando você une às memórias desta linda terra, nos quais se alcança o entendimento que irá lhe acompanhar para sempre na sua caminhada espiritual.

 

GERASA

Acredita-se que foi em Gerasa, na Terra dos gadaneros na costa oriental do Mar da Galileia, que Jesus expulsou os demônios para um rebanho de porcos que se jogou de um pico para dentro do lago (Mateus  8:28-34; Marcos 5:1-17; Lucas 8:26-37). A sua redescoberta e restauração são um capítulo excitante na viagem cristã à Terra Santa.
Como outros lugares, especialmente Betsaida e Korazim, este sítio também foi perdido há séculos atrás, quando viajar era muito mais difícil do que é hoje em dia.
Os diferentes nomes dados nos Evangelhos para o lugar só acrescentaram à confusão sobre a sua localização. Então, durante a construção de uma estrada há 30 anos atrás, descobriu-se um mosaico e, quando os arqueólogos israelenses investigaram melhor, uma linda igreja emergiu do solo. Eles também viram que os cristãos bizantinos tinham construído uma torre grande em volta de um “escarpado” que se encontrava ao lado.
Relembrando um nome judeu antigo para este local, que era parecido ao nome em um dos evangelhos, os estudiosos entenderam que este deve ser o lugar do Milagre dos Porcos. Hoje os visitantes podem ler estes eventos onde eles realmente aconteceram, visitar a igreja e subir no escarpado para ter uma vista fabulosa do Mar da Galileia.

HAIFA

Haifa, que coroa o Monte Carmel acima do Mediterrâneo, pode enriquecer sua visita a Israel de forma inesperada.

Haifa descansa sobre a herança da tribo de Zebulon que habitava o litoral (Gen 49:13). Por centenas de anos foi apenas uma vila de pescadores, ofuscada pela grande cidade de Acre/Ptolomaida (Juízes 1:31; Atos 21:7) através da baía. Mas os Cristãos sempre fizeram peregrinações à Caverna de Elias, agora no coração da cidade, e as Carmelitas construíram o mosteiro Stella Maris ali,”a estrela do mar”, dedicado à Maria.

No final do século 19, Cristãos Germânicos se estabeleceram no local, trazendo uma vida moderna. Para os Baha’i, este também é solo sagrado. Antes da Segunda Guerra Mundial, os Ingleses construíram o porto de Haifa, que ainda é o suporte principal da economia e deu a cidade um estilo multi-cultural. Judeus, Cristãos e Muçulmanos que constituem uma população de 270.000 pessoas encontraram em Haifa uma forma de coexistir que é um modelo para o resto do país.

 

Reis Capítulo 18

20 Então Acabe convocou todos os filhos de Israel, e reuniu os profetas no Monte Carmelo. 21 E Elias se chegou a todo o povo, e disse: “Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o Senhor é Deus, segui-o; mas se Baal, segui-o”. O povo, porém, não lhe respondeu nada. 22 Então disse Elias ao povo: “Só eu fiquei dos profetas do Senhor; mas os profetas de Baal são quatrocentos e cinqüenta homens”. 23 Dêem-se-nos, pois, dois novilhos; e eles escolham para si um dos novilhos, e o dividam em pedaços, e o ponham sobre a lenha, porém não lhe metam fogo; e eu prepararei o outro novilho, e o porei sobre a lenha, e não lhe meterei fogo. 24 Então invocai o nome do vosso deus, e eu invocarei o nome do Senhor; e há de ser que o deus que responder por meio de fogo, esse será Deus”. E todo o povo respondeu, dizendo: “É boa esta palavra”. 25 Disse, pois, Elias aos profetas de Baal: “Escolhei para vós um dos novilhos, e preparai-o primeiro, porque sois muitos, e invocai o nome do Senhor, vosso deus, mas não metais fogo ao sacrifício”. 26 E, tomando o novilho que se lhes dera, prepararam-no, e invocaram o nome de Baal, desde a manhã até o meio-dia, dizendo: “Ah Baal, responde-nos!” Porém não houve voz; ninguém respondeu. E saltavam em volta do altar que tinham feito. 27 Sucedeu que, ao meio-dia, Elias zombava deles, dizendo: “Clamai em altas vozes, porque ele é um deus; pode ser que esteja falando, ou que tenha alguma coisa que fazer, ou que intente alguma viagem; talvez esteja dormindo, e necessite de que o acordem”. 28 E eles clamavam em altas vozes e, conforme o seu costume, se retalhavam com facas e com lancetas, até correr o sangue sobre eles. 29 Também sucedeu que, passado o meio dia, profetizaram eles até a hora de se oferecer o sacrifício da tarde. Porém não houve voz; ninguém respondeu, nem atendeu.

 

HERODION

Sítio histórico localizado na fronteira do deserto da Judéia, a cerca de 8 quilômetros a oeste de Belém. Este robusto palácio das montanhas foi construído pelo Rei Herodes e foi nomeado em sua honra. Depois de Massada, é a segunda fortaleza mais famosa do deserto, tendo sido construída para assegurar a segurança de seu reino e sua própria segurança.

A montanha artificial foi usada como esconderijo pelos Zelotas na revolta de Bar Kochba, e mais tarde como um Mosteiro para os monges Bizantinos.

 

ASHKELON

Localizada nas costas do Mediterrâneo, Ashkelon é uma das cidades mais velhas e mais importantes em Israel. Foi conquistada pelos Filisteus e transformou-se em uma das suas cinco principais cidades. Desde então, muitas nações viveram lá. Ashkelon abriga alguns dos tesouros mais surpreendentes, incluindo o arco mais velho feito pelo homem no Oriente Médio e um cemitério canino até agora inexplicado.

 

Josué 13

1 Era Josué já velho e avançado em anos, quando lhe disse o Senhor: Já estás velho e avançado em anos, e ainda fica muitíssima terra para se possuir. 2 terra que ainda fica é esta: todas as regiões dos filisteus, bem como todas as dos gesureus, 3 desde Sior, que está defronte do Egito, até o termo de Ecrom para o norte, que se tem como pertencente aos cananeus; os cinco chefes dos filisteus; o gazeu, o asdodeu, o asqueloneu, o giteu, e o ecroneu; também os aveus; 4 no sul toda a terra, dos cananeus, e Meara, que pertence aos sidônios, até Afeca, até o termo dos amorreus;5 como também a terra dos Gebalitas, e todo o Líbano para o nascente do sol, desde Baal-Gade, ao pé do monte Hermom, até a entrada de Hamate; 6 todos os habitantes da região montanhosa desde o Líbano até Misrefote-Maim, a saber, todos os sidônios. Eu os lançarei de diante dos filhos de Israel; tão-somente reparte a terra a Israel por herança, como já te mandei. 7 Reparte, pois, agora esta terra por herança as nove tribos, e a meia tribo de Manasses.

 

AVDAT

Nas montanhas do Neguev as ruínas da cidade de Avdat se levantam acima do riacho da região selvagem de Zin.

Primeiramente, os Israelitas vaguearam aqui. Mais tarde, os Nabateus, filhos do deserto, com seus camelos carregados com especiarias em direção ao Mediterrâneo, encontraram Avdat. Juntamente com suas cidades irmãs Shivta e Mamshit, transformou-se em um ponto de parada para suas caravanas.

Sob o domínio Romano, Avdat cresceu de hospedaria de caravanas para cidade, e quando os Bizantinos trouxeram o Cristianismo ao Neguev, o santuário dos Nabateus tornou-se igreja e floresceu como nunca havia acontecido anteriormente.

Em uma Igreja, com uma vista magnífica do deserto, você verá um batistério em forma de cruz, ao lado de outro menor para bebês. Um espremedor de uvas (para fabricação de vinho) revela habilidades agrícolas antigas que desafia o deserto e hoje em dia os agricultores do Neguev tentam copiar.

Você também pode andar através de um pátio de uma casa Bizantina reconstruída, com uma cruz ainda entalhada em seu teto, remanescências das centenas de moradias Cristãs que existiram uma vez aqui.

 

IGREJA DO SANTO SEPULCRO

Esta é facilmente a mais famosa e a mais controversa Igreja da Cristandande. O Santo Sepulcro contém embaixo do teto os locais tradicionais da crucificação e ressurreição de Jesus. O monte onde Jesus foi crucificado foi chamado de lugar do crânio (Gólgota, Calvário) e de acordo com o Evangelho de João, havia um jardim vizinho onde ele foi enterrado.

O local foi redescoberto embaixo do templo de Vênus na esquina do fórum oeste da cidade de Hadrian de Aelia Capitolina, pela Rainha Helena, mãe de Constantino, que derrubou o templo e motivou a construção de uma basílica enorme que foi dedicada no dia de Páscoa no ano de 326. A igreja foi parcialmente reconstruída no século seguinte por Justiniano e permaneceu intocada até 1009, quando o Califa Hakim destruiu praticamente quase tudo. Ela foi remendada por um Monge chamado Robert, mas quando os Cruzados encontraram-na em 1099, a Igreja foi reconstruída apenas a metade do seu tamanho original e assim está até os dias de hoje.

 

Marcos Capítulo 15

22 Levaram-no, pois, ao lugar do Gólgota, que quer dizer, lugar da Caveira. 23 E ofereciam-lhe vinho misturado com mirra; mas ele não o tomou. 24 Então o crucificaram, e repartiram entre si as vestes dele, lançando sortes sobre elas para ver o que cada um levaria. 25 E era a hora terceira quando o crucificaram. 26 Por cima dele estava escrito o título da sua acusação: “O Rei dos Judeus”. 27 Também, com ele, crucificaram dois salteadores, um à sua direita, e outro à esquerda. 28 E cumpriu-se a escritura que diz: “E com os malfeitores foi contado”. 29 E os que iam passando blasfemavam dele, meneando a cabeça e dizendo: “Ah! Tu que destróis o santuário e em três dias o reedificas 30 salva-te a ti mesmo, descendo da cruz”. 31 De igual modo também os principais sacerdotes, com os escribas, escarnecendo-o, diziam entre si: “A outros salvou; a si mesmo não pode salvar; 32 desça agora da cruz o Cristo, o rei de Israel, para que vejamos e creiamos”. Também os que com ele foram crucificados o injuriavam.

33 E, chegada a hora sexta, houve trevas sobre a terra, até a hora nona. 34 E, à hora nona, bradou Jesus em alta voz: “Eloí, Eloí, lamá, sabactani?” que, traduzido, é: “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?” 35 Alguns dos que ali estavam, ouvindo isso, diziam: “Eis que chama por Elias”. 36 Correu um deles, ensopou uma esponja em vinagre e, pondo-a numa cana, dava-lhe de beber, dizendo: “Deixai, vejamos se Elias virá tirá-lo”. 37 Mas Jesus, dando um grande brado, expirou. 38 Então o véu do santuário se rasgou em dois, de alto a baixo. 39 E quando o centurião que estava defronte dele viu-o assim expirar, disse: “Verdadeiramente este homem era filho de Deus”.

João Capítulo 19

38 Depois disto, José de Arimatéia, que era discípulo de Jesus, embora oculto por medo dos judeus, rogou a Pilatos que lhe permitisse tirar o corpo de Jesus; e Pilatos lho permitiu. Então foi e o tirou. 39 E Nicodemos, aquele que anteriormente viera ter com Jesus de noite, foi também, levando cerca de cem libras duma mistura de mirra e aloés. 40 Tomaram, pois, o corpo de Jesus, e o envolveram em panos de linho com as especiarias, como os judeus costumavam fazer na preparação para a sepultura. 41 No lugar onde Jesus foi crucificado havia um jardim, e nesse jardim um sepulcro novo, em que ninguém ainda havia sido posto. 42 Ali, pois, por ser a véspera do sábado dos judeus, e por estar perto aquele sepulcro, puseram a Jesus.

 

IGREJA SÃO PEDRO EM GALLICANTU

Terreno de uma igreja desde no mínimo o século 6, acredita-se que este seja o local da casa de Caifás, o cenário da negação de Pedro em relação à sua ligação com Jesus na noite de seu julgamento, e o derramamento de suas lágrimas de auto-recriminação.

Mateus Capítulo 26

57 Aqueles que prenderam a Jesus levaram-no à presença do sumo sacerdote Caifás, onde os escribas e os anciãos estavam reunidos. 58 E Pedro o seguia de longe até o pátio do sumo sacerdote; e entrando, sentou-se entre os guardas, para ver o fim. 59 Ora, os principais sacerdotes e todo o sinédrio buscavam falso testemunho contra Jesus, para poderem entregá-lo à morte; 60 e não achavam, apesar de se apresentarem muitas testemunhas falsas. Mas por fim compareceram duas, 61 e disseram: “Este disse: ‘Posso destruir o santuário de Deus, e reedificá-lo em três dias’”. 62 Levantou-se então o sumo sacerdote e perguntou-lhe: “Nada respondes? Que é que estes depõem contra ti?” 63 Jesus, porém, guardava silêncio. E o sumo sacerdote disse-lhe: “Conjuro-te pelo Deus vivo que nos digas se tu és o Cristo, o Filho do Deus”. 64 Respondeu-lhe Jesus: “É como disseste; contudo vos digo que vereis em breve o Filho do homem assentado à direita do Poder, e vindo sobre as nuvens do céu”. 65 Então o sumo sacerdote rasgou as suas vestes, dizendo: “Blasfemou. Para que precisamos ainda de testemunhas? Eis que agora acabais de ouvir a sua blasfêmia”. 66 “Que vos parece?” Responderam eles: “É réu de morte”. 67 Então uns lhe cuspiram no rosto e lhe deram socos; 68 e outros o esbofetearam, dizendo: “Profetiza-nos, ó Cristo, quem foi que te bateu?” 69 Ora, Pedro estava sentado fora, no pátio; e aproximou-se dele uma criada, que disse: “Tu também estavas com Jesus, o Galileu”. 70 Mas ele negou diante de todos, dizendo: “Não sei o que dizes”. 71 E saindo ele para o vestíbulo, outra criada o viu, e disse aos que ali estavam: “Este também estava com Jesus, o Nazareno”. 72 E ele negou outra vez, e com juramento: “Não conheço tal homem.” 73 E daí a pouco, aproximando-se os que ali estavam, disseram a Pedro: “Certamente tu também és um deles pois a tua fala te denuncia.” 74 Então começou ele a praguejar e a jurar, dizendo: “Não conheço esse homem”. E imediatamente o galo cantou. 75 E Pedro lembrou-se do que dissera Jesus: “Antes que o galo cante, três vezes me negarás”. E, saindo dali, chorou amargamente.

 

JAFFA

Jaffa era o Porto em que Pedro, enquanto estava com Simão o Curtidor, teve sua visão de animais sujos e limpos sendo baixados dos céus. Foi daqui que ele foi chamado a Cesarea para compartilhar sua fé com Cornélio, o Centurião Romano.

Atos Capítulo 9

36 Havia em Jope uma discípula por nome Tabita, que traduzido quer dizer Dorcas, a qual estava cheia de boas obras e esmolas que fazia. 37 Aconteceu naqueles dias que ela, adoecendo, morreu; e, tendo-a lavado, a colocaram no cenáculo. 38 Como Lida era perto de Jope, ouvindo os discípulos que Pedro estava ali, enviaram-lhe dois homens, rogando-lhe: “Não te demores em vir ter conosco.” 39 Pedro levantou-se e foi com eles; quando chegou, levaram-no ao cenáculo; e todas as viúvas o cercaram, chorando e mostrando-lhe as túnicas e vestidos que Dorcas fizera enquanto estava com elas. 40 Mas Pedro, tendo feito sair a todos, pôs-se de joelhos e orou; e voltando-se para o corpo, disse: “Tabita, levanta-te.” Ela abriu os olhos e, vendo a Pedro, sentou-se. 41 Ele, dando-lhe a mão, levantou-a e, chamando os santos e as viúvas, apresentou-lha viva. 42 Tornou-se isto notório por toda a Jope, e muitos creram no Senhor. 43 Pedro ficou muitos dias em Jope, em casa de um curtidor chamado Simão.

 

JEZREEL

A cidade do outro lado do vale de Jezreel parece estar melhor que sua vizinha mais próxima, Megiddo, em termos de destruição das camadas (em emprestar seu nome a um vale atraente e fértil preferivelmente do que a um sítio com destruição completa), mas foi uma cidade importante por mérito próprio pelas mesmas razões estratégicas: rotas de comércio e guerra. É famosa também como a cidade onde Jezebel recebeu o devido castigo por ser a força do mal por trás do trono.

2 Reis Capítulo 9

28 E seus servos o levaram numa carruagem a Jerusalém, e o sepultaram na sua sepultura junto a seus pais, na cidade de Davi. 29 Acazias começara a reinar sobre Judá no ano undécimo de Jorão, filho de Acabe. 30 Depois Jeú veio a Jizreel; o que ouvindo Jezebel, pintou-se em volta dos olhos, e enfeitou a sua cabeça, e olhou pela janela. 31 Quando Jeú entrava pela porta, disse ela: “Teve paz Zinri, que matou a seu senhor?” 32 Ao que ele levantou o rosto para a janela e disse: “Quem é comigo? Quem?” E dois ou três eunucos olharam para ele. 33 Então disse ele: “Lançai-a daí abaixo”. E lançaram-na abaixo; e foram salpicados com o sangue dela a parede e os cavalos; e ele a atropelou. 34 E tendo ele entrado, comeu e bebeu; depois disse: “Olhai por aquela maldita, e sepultai-a, porque é filha de rei.” 35 Foram, pois, para sepultá-la; porém não acharam dela senão a caveira, os pés e as palmas das mãos. 36 Então voltaram, e lho disseram: “Pelo que ele disse: Esta é a palavra do Senhor, que ele falou por intermédio de Elias, o tisbita, seu servo, dizendo: ‘No campo de Jezreel os cães comerão a carne de Jezebel, 37 e o seu cadáver será como esterco sobre o campo, na herdade de Jezreel; de modo que não se poderá dizer: Esta é Jezebel’”.

 

JARDIM DO GUETSÊMANI

Os visitantes do Jardim do Guetsêmani se surpreendem quando ouvem que as retorcidas oliveiras que eles vêem poderiam ter sido pequenas mudas quando Jesus veio para cá com os seus discípulos, naquela noite fatal depois da Última Ceia (Mateus, 26:36; Marco 14:32; João 18:1). Hoje essas árvores antigas se erguem em canteiros de flores bem cuidados; na época de Jesus este local teria sido um olival onde uma prensa para a extração de azeite de oliva – gethsemane em grego – se localizava.

A impressionante Igreja de Todas as Nações, construída nos anos 20 do século passado sobre igrejas anteriores relata os eventos deste local em mosaicos brilhantemente detalhados, que vão do chão ao teto: Jesus orando sozinho (Marcos 14:35-36); Judas traindo a Jesus (Mateus 26:48); o cortar da orelha do servidor do Grande Sacerdote (Marco 14:47).

Do outro lado da travessa há um bosque menos frequentado, e lá é possível arranjar para que os visitantes passem o tempo de forma privada, em orações e contemplações.

KIRYAT YEARIM

Local onde a Arca da Aliança foi deixada quando os Filisteus a devolveram antes ser levada ao Monte do Templo. Também é o sítio de uma importante fortaleza Salomônica, recentemente escavada, que guardava o caminho da costa litorânea à Jerusalém, como Castel, o castelo cruzado do lado oposto, fez dois mil anos mais tarde.

1 Samuel Capítulo 6

20 Disseram os homens de Bete-Semes: “Quem poderia subsistir perante o Senhor, este Deus santo? E para quem subirá de nós?” 21 Enviaram, pois, mensageiros aos habitantes de Quiriate-Jearim, para lhes dizerem: “Os filisteus remeteram a arca do Senhor; descei, e fazei-a subir para vós”.

Capítulo 7

1 Vieram, pois, os homens de Quiriate-Jearim, tomaram a arca do Senhor e a levaram à casa de Abinadabe, no outeiro; e consagraram a Eleazar, filho dele, para que guardasse a arca do Senhor. 2 Desde o dia em que a arca ficou em Queriate-Jearim passou-se muito tempo, chegando até vinte anos; então toda a casa de Israel lamentou pelo Senhor.

 

KORAZIM

Um sítio arqueológico mencionado no Novo Testamento como a cidade condenada por Jesus (juntamente com Bethsaida e Cafarnaum) por terem-no rejeitado, Kozarim era uma cidade judaica renomada por seu excelente trigo na época Talmúdica. As ruínas da cidade estão espalhadas sobre uma área de 25 acres, subdividida em cinco quarteirões separados, com uma sinagoga no centro. As ruínas do sítio incluem uma grande e impressionante sinagoga que foi construída com pedras pretas de basalto e decorada com motivos judaicos. Perto dali, existe um local de banhos para ritual cercado por prédios públicos e residenciais. Pescadores Judeus viveram aqui no século XVI.

Mateus Capítulo 11

20  Então começou ele a lançar em rosto às cidades onde se operara a maior parte dos seus milagres, por não se haverem arrependido. 21 “Ai de ti, Corazin! Ai de ti, Betsaida! Porque, se em Tiro e em Sidom se tivessem operado os milagres que em vós se operaram, há muito elas se teriam arrependido em cilício e em cinza. 22 Contudo, eu vos digo que para Tiro e Sidom haverá menos rigor, no dia do juízo, do que para vós. 23 E tu, Cafarnaum, porventura serás elevada até o céu? Até o Hades descerás; porque, se em Sodoma se tivessem operado os milagres que em ti se operaram, teria ela permanecido até hoje. 24 Contudo, eu vos digo que no dia do juízo haverá menos rigor para a terra de Sodoma do que para ti.”

 

MAGDALA

A antiga Magdala, na costa noroeste do Mar da Galileia, foi uma cidade importante nos dias dos seus cidadãos mais famosos, Maria Madalena.  Fontes antigas dizem que pescadores e tintureiros tinham os seus próprios bairros, além de 80 lojas vendendo lã da melhor qualidade!

O seu nome grego, Tarichae, significa “peixe em conserva”, indicando que ela também foi um centro para este tipo de indústria. Também tinha uma indústria de construção de barcos. Alguns escolásticos a identificam como Dalmanuta de Marcos (8:10), onde Jesus foi depois de alimentar os quatro mil.

Há alguns anos atrás, durante uma seca, o lago recuou e revelou as fundações de uma torre que os arqueólogos acreditam ter dado o nome à cidade (que significa torre), e pode ter sido um farol.

O panorama maravilhoso em volta de Magdala inclui o penhasco de Arbel e o Vale das Pombas, a estrada principal que Jesus teria tomado para chegar nesta área desde Nazaré. Na realidade, a melhor vista de Magdala, cujas escavações estão numa área cercada que pertence aos franciscanos, é do topo do Arbel, vendo toda a área do ministério de Jesus se estendendo ao horizonte.

 

O MAR MORTO É FONTE DE SAÚDE E BELEZA

A região concorre para ser uma das “Sete Novas Maravilhas da Natureza”

O Mar Morto,  localizado a 417 metros abaixo do nível do mar, é um dos locais turísticos de Israel mais procurados para o cuidado com a saúde e beleza e foi escolhido como um dos 28 finalistas que concorreram para as “Sete Novas Maravilhas da Natureza”.

A região é uma fonte de saúde e beleza, desde o próprio ar até à riqueza mineral das águas do mar e das fontes que o alimentam. A alta concentração de sais e minerais na água, 340 gramas por litro de água, é o que torna tão especial e favorável para o corpo.

Alguns dos minerais são trazidos pelas nascentes quentes de Mazor, em Ein Gedi, e Zohar, em Sodoma, que formam depósitos de lama negra ao longo das praias. A lama é altamente terapêutica, fácil de espalhar e fornece minerais nutritivos para a pele.

O sol que brilha durante o ano e o ambiente de deserto contribuem para uma rápida evaporação da água, criando uma alta concentração de oxigênio e bromo no ar que se respira. O processo proporciona um efeito relaxante nas pessoas e também atua como filtro, transformando os ultravioletas nocivos.

Além das belezas naturais e das propriedades benéficas para a saúde, a região do Mar Morto  está cheia de oportunidades de aventura, exploração, excursões e condições para relaxamento. Tudo isso e muito mais tornam o Mar Morto tão fascinante, tão diferente e tão interessante

 

MINAS DO REI SALOMÃO

Também chamada de “Caverna de Zedequias”, dizem ter sido uma rota de fuga para o Rei Zedequias enquanto escapava dos Babilônios. Estas são, na verdade, uma gigantesca caverna embaixo da terra que atravessa por baixo do quarteirão Muçulmano na cidade velha. Parte da mina se estende até o jardim da Tumba de Gólgota do outro lado da rua desde a sua entrada, e poderia realmente ter sido usada na época do Primeiro Templo, em função da solidez de pedra calcária encontrada lá – uma edificação de material valioso. A caverna é popular para os maçons.

 

MEGIDDO

Quando você está em pé sobre o antigo Monte Megiddo, com os restos de 25 civilizações abaixo dos pés, cada monte e vale que você vê conta uma história bíblica. Cada exército que cruzou essa terra colidiu com suas sombras. Não admira que o Livro das Revelações coloca a grande batalha do Final dos Dias contra este cenário e chama a este lugar de Armagedom.

Megiddo está no cerne da história. Era uma parada central na maior rota de comércio da antiguidade, que cruzava a ponte da terra de Canaã para ligar aos distantes pontos do Crescente Fértil – Egito ao sul e Mesopotâmia ao norte. Josué (Josué 12:21), Rei Salomão (1 Reis 9:15) e Rei Josias (2 Reis 23:30), todos observados pelas suas paredes, que finalmente caíram pela invasão dos Assírios.

Quando você vem a Tel Megiddo, agora Parque Nacional de Megiddo e patrimônio da humanidade, não há como evitar sentir o poder dos portões maciços que seguraram o exército Egípcio na baía por meses, e os portões acima destes atribuídos ao Rei Salomão. Você olhará para baixo em um altar redondo onde os sacrifícios Cananeus eram feitos, e entenderá o que a Bíblia quer dizer quando fala sobre “lugares altos”, onde os Cananeus – e os Israelitas – sacrificavam para ídolos ( 2 Reis 23:19). Os restos da cidade que os Assírios construíram aqui em torno de 2700 anos atrás também estão aqui, agora espalhados do outro lado da paisagem.

Outro ponto que chama a atenção em Megiddo é a descida de 180 degraus para dentro de um poço e um túnel desbastado em uma façanha surpreendente de engenharia para canalizar a água de uma nascente dentro da cidade no século 8 AEC, durante o reinado do Rei Ahab.

Apesar de não existir nenhuma cidade aqui nos tempos de Cristo, uma surpreendente ilustração da história da natividade tornou-se uma foto popular: as calhas de alimentação de pedra nos estábulos dos dias dos Reis dos Israelitas são precisamente o tipo de manjedoura em que o bebê Jesus foi colocado (Lucas 2:7).

Diretamente da estrada de Megiddo, entre todas as coisas, uma descoberta impressionante foi feita em Novembro de 2005, em escavações anteriores à expansão da prisão: um assoalho de mosaicos contendo três inscrições em Grego. Dentre elas, existe uma homenageando uma mulher chamada Akeptos “Akeptos, devota de Deus, contribuiu com a mesa de Deus Jesus Cristo, como memorial”. Arqueólogos acreditam que, como nas inscrições está mencionada a palavra mesa (e não altar, um costume mais antigo), a Eucaristia naquele tempo deveria ainda ser conduzida ao redor de uma mesa, da mesma forma que os primeiros Cristãos faziam. Este fato pode transformar esse prédio como único no mundo Cristão, e estamos ansiosos para a restauração do local, para que Cristãos possam novamente cultuar o que possa vir ser a mais antiga igreja já encontrada.

Mas nada se compara a ficar sobre o topo de Tel Megiddo e apreciar a vista inspiradora. O Monte Carmel a oeste, Monte Gilboa a leste, Samaria ao sul e, ao norte, logo do outro lado do vale – Nazaré. Não há lugar melhor para rezar e refletir do que nesta incomparável reunião do passado com o futuro.

 

MOSTEIRO DA CRUZ

O Mosteiro da Cruz foi construído no local onde a árvore de oliveira, que foi usada para construir a cruz onde Jesus foi crucificado, cresceu. Foi também da mesma árvore que Eva provou do fruto de onde foi dito “dessa não comerás”. O Mosteiro foi construído por Justiniano no século VI em suas cruzadas de construções, e então destruída tanto por Persas como pelo califa el-Hakim, sendo reconstruída na calmaria pouco antes da primeira cruzada. Hoje em dia, o mosteiro tem o seu isolamento quebrado pela moderna Jerusalém e é conduzido por dois monges.

 

LEGENDA FOTO DESTRUIÇÃO SEGUNDO TEMPLO

Afresco do pintor escocês David Roberts (1796-1864) retrata a destruição de Jerusalém pelos romanos sob o comando de Tito, AD 70 , óleo sobre tela, 1850 e do Segundo Templo de Jerusalém, pelos romanos comandado por imperador Tito.

No ano 539 a.C., Ciro apodera-se da Babilónia e ordena o repatriamento dos judeus mantidos em cativeiro e a reconstrução do seu templo, que, segundo a descrição presente no livro de Esdras (capítulo 1, versículos 1 a 4), terá tido lugar sob Zorobabel, sendo apoiada pelo funcionário Esdras e pelos profetas Zacarias e Ageu.

Em 4 d.C. o rei Herodes, o grande, reconstruiu o templo, este tambem foi destruído pelo general Tito em 70 EC, pelos romanos, no seguimento da Grande Revolta Judaica.

 

MONTE GILBOA

I Samuel Capítulo 31

1 Ora os filisteus pelejaram contra Israel; e os homens de Israel fugiram de diante dos filisteus, e caíram mortos no monte Gilboa. 2 E os filisteus apertaram com Saul e seus filhos, e mataram a Jônatas, a Abinadabe e a Malquisua, filhos de Saul. 3 A peleja se agravou contra Saul, e os flecheiros o alcançaram, e o feriram gravemente. 4 Pelo que disse Saul ao seu escudeiro: “Arranca a tua espada, e atravessa-me com ela, para que porventura não venham esses incircuncisos, e me atravessem e escarneçam de mim”. Mas o seu escudeiro não quis, porque temia muito. Então Saul tomou a espada, e se lançou sobre ela. 5 Vendo pois, seu escudeiro, que Saul já era morto, também ele se lançou sobre a sua espada, e morreu com ele. 6 Assim morreram juntamente naquele dia Saul, seus três filhos, e seu escudeiro, e todos os seus homens. 7 Quando os israelitas que estavam no outro lado do vale e os que estavam além de Jordão viram que os homens de Israel tinham fugido, e que Saul e seus filhos estavam mortos, abandonaram as suas cidades e fugiram; e vieram os filisteus e habitaram nelas

 

MONTE DAS BEATITUDES

Como o nome sugere, este é o monte sobre o qual é dito que Jesus pronunciou o “Sermão do Monte”. A posição da terra ao lado da igreja forma um anfiteatro natural inclinando-se até o lado do lago, portanto é mais provável que Jesus tenha ficado na parte inferior do monte, mas isso não diminui a beleza da igreja no seu cume.

Mateus Capítulo 5

1 Jesus, pois, vendo as multidões, subiu ao monte e, tendo se assentado, aproximaram-se os seus discípulos, 2 e ele se pôs a ensiná-los, dizendo: 3 “Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus. 4 Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados. 5 Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra. 6 Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça porque eles serão fartos. 7 Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia. 8 Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus. 9 Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus. 10 Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus. 11 Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguiram e, mentindo, disserem todo mal contra vós por minha causa. 12 Alegrai-vos e exultai , porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram aos profetas que foram antes de vós, 13 Vós sois o sal da terra; mas se o sal se tornar insípido, com que se há de restaurar-lhe o sabor? Para nada mais presta, senão para ser lançado fora, e ser pisado pelos homens.

 

MONTE DAS OLIVEIRAS

Localizado na parte leste da Cidade Velha de Jerusalém, e separando-a do Deserto da Judéia, o Monte das Oliveiras é um dos mais proeminentes locais nas adjacências de Jerusalém mencionadas nas Escrituras Sagradas. Ele é mencionado pela primeira vez como rota de fuga do Rei David durante a rebelião do seu filho Absalão, depois mais tarde em profetas; mas é mais freqüentemente mencionado no Novo Testamento, sendo a rota de Jerusalém a Bethany e o local favorito de Jesus para ensinar seus discípulos, e onde ele chorou por Jerusalém. Aqui, a Igreja Dominus Flevit foi construída pela ordem Franciscana em 1954 e desenhada por A. Barluzzi na forma de uma gota na parte de cima, permanece uma igreja Bizantina.

JARDIM DO GESTSÊMANI

Ao pé da montanha, adjacente à Igreja de Todas as Nações, está o Jardim Getsêmani (Gat-Shemanim – prensa de azeite em Hebraico), onde encontram-se as torres douradas da Igreja Russa Ortodoxa de Maria Madalena. Além do complexo de igrejas adjacentes ao Monte Scopus no lado norte, que inclui a Basílica do Coração Sagrado, a Basílica Eleona e o convento de Pater Noster, está talvez o mais conhecido vasto cemitério que está em frente à Jerusalém em toda a extensão de seus declives orientais.

Acredita-se ser este o lugar por onde Deus começará a redimir os mortos quando o Messias chegar, os Judeus sempre procuraram ser enterrados aqui. As mais famosas dessas sepulturas que se encontram ao pé da montanha, no resplendor dos muros da Cidade Velha, incluem a sepultura de Zacarias, as tumbas dos filhos de Hezir e Yad Absalão. Um pouco mais afastado, entre as 150.000 sepulturas no cemitério Judaico, pode-se encontrar os  locais dos restos mortais do filósofo Judeu Nahmanides, o restaurador do idioma Hebraico Eliezer Ben-Yehuda, ex-Primeiro Ministro Menachem Begin, Chefe dos Rabinos Avraham Isaac Kook e Shlomo Goren, e do magnata da media Robert Maxwell.

Atualmente, a Municipalidade de Jerusalém, em conjunto com o Gabinete do Primeiro Ministro, estão iniciando um ambicioso projeto de renovação e de desenvolvimento para todo o local. O projeto de 100 milhões de shekels inclui a renovação de milhares de sepulturas destruídas durante a ocupação Jordaniana sobre Jerusalém Ocidental entre 1948 e 1967 e o desenvolvimento e manutenção das estradas, cercas e um centro de informação turística. É esperado que o projeto tenha duração de cinco anos, em função da sensível natureza religiosa da área, que impede o uso de maquinário pesado.

 

MONTE DO TEMPLO

Salomão construiu seu Primeiro Templo em Jerusalém, o declive onde foi construído tornou-se o mais importante local de culto do mundo monoteísta, e ainda é reverenciado por Judeus e Muçulmanos nos dias de hoje. Salomão (960-900 EC) construiu o Templo que David não teve permissão, usando os servos Fenícios do reino vizinho de Tiro (veja o processo de lentidão em 1 Reis). Ele também construiu uma plataforma circular ao redor das bordas da colina para segurar os pátios que circundavam o prédio de cedro e bronze, e toda a edificação era para ter sido o foco do culto Judaico para sempre. Entretanto após seu reinado, o Reino do Norte declarou autonomia e, depois de algum tempo, o Templo foi usado apenas pelas tribos da Judéia e Benjamin. Em 586 AEC, o Templo foi destruído pelos Babilônios e os Israelitas continuavam sem saída entre a guerra dos Impérios do Sul e do Norte. Os habitantes da Judéia foram assassinados ou levados para o exílio (com exceção dos agricultores). Foi apenas cinqüenta anos depois e com a auspiciosa intervenção da Pérsia, os novos herdeiros do poder imperial, que os israelitas tiveram a oportunidade de retornar e reconstruir o Templo, o pensamento de um dia poder retornar é que sustentou muitos deles durante o seu exílio (veja Esdras e Jeremias).

Essa construção apressada do templo permaneceu até que Hasmoneus o reforçou em 186 AEC, mas foi destruído por Herodes o Grande em 20 AEC, que começou a construção de um novo templo, tendo sido o mesmo terminado sessenta anos após sua morte. Ele também construiu uma plataforma quadrada muito maior ao redor do monte que permitia aos Gentios entrarem lá sem profanar as áreas sagradas do próprio templo, e é esta plataforma que se conhece como “Monte do Templo” nos dias de hoje.

Este templo foi destruído pelos Romanos durante a revolta Judaica em 70 AD, apenas seis anos após ter sido terminado. Contudo, foi permitido à plataforma permanecer e a mesma se tornou a base para o templo de Júpiter na nova cidade Adrianica de Aelia Capitolina, sobrevivente até o período Bizantino, quando a área se transformou em um depósito de lixo, provando visivelmente para os recentes pagãos que Deus virou-se em favor dos Gentios Cristãos ao invés dos Judeus. Essa era a situação quando Omar, o primeiro califa, marchou triunfante dentro da cidade, forçou os patriarcas Cristãos a rastejarem sobre suas mãos e joelhos do Santo Sepulcro até o Monte, como penitência por profaná-lo, construiu então o Domo da Rocha, aonde o templo permaneceu previamente por seiscentos anos.

2 Samuel 24 : 18 Naquele mesmo dia veio Gade a Davi, e lhe disse: “Sobe, levanta ao Senhor um altar na eira de Araúna, o jebuseu” 19 Subiu, pois, Davi, conforme a palavra de Gade, como o Senhor havia ordenado. 20 E olhando Araúna, viu que vinham ter com ele o rei e os seus servos; saiu, pois, e inclinou-se diante do rei com o rosto em terra. 21 Perguntou Araúna: “Por que vem o rei meu senhor ao seu servo?” Respondeu Davi: “Para comprar de ti a eira, a fim de edificar nela um altar ao Senhor, para que a praga cesse de sobre o povo”. 22 Então disse Araúna a Davi: “Tome e ofereça ao rei meu senhor o que bem lhe parecer; eis aí os bois para o holocausto, e os trilhos e os aparelhos dos bois para lenha. 23 Tudo isto, ó rei, Araúna te oferece”. Disse mais Araúna ao rei: “O Senhor teu Deus tome prazer em ti”. 24 Mas o rei disse a Araúna: “Não! Antes to comprarei pelo seu valor, porque não oferecerei ao Senhor meu Deus holocaustos que não me custem nada”. Comprou pois, Davi, a eira e os bois por cinqüenta siclos de prata. 25 E edificou ali um altar ao Senhor, e ofereceu holocaustos e ofertas pacíficas. Assim o Senhor se tornou propício para com a terra, e cessou aquela praga sobre Tiro, enviou os seus servos a Salomão, quando ouviu que o haviam ungido rei em lugar de seu pai; porquanto Hirão fora sempre muito amigo de Davi. 2 Salomão, pois, mandou dizer a Hirão. 3 “Bem sabes tu que Davi, meu pai, não pôde edificar uma casa ao nome do Senhor seu Deus, por causa das guerras com que o cercaram, até que o Senhor lhe pôs os inimigos debaixo dos seus pés. 4 Agora, porém, o Senhor meu Deus me tem dado descanso de todos os lados: adversário não há, nem calamidade alguma. 5 Pretendo, pois, edificar uma casa ao nome do Senhor meu Deus, como falou o Senhor a Davi, meu pai, dizendo: ‘Teu filho, que porei em teu lugar no teu trono, ele edificará uma casa ao meu nome’. 6 Portanto, dá ordem agora que do Líbano me cortem cedros; os meus servos estarão com os teus servos; eu te pagarei o salário dos teus servos, conforme tudo o que disseres; porque tu sabes que entre nós ninguém há que saiba cortar madeira como os sidônios”

 

MONTE SCOPUS

O nome do Monte Scopus é a tradução da palavra em Hebraico “harsofim”(examinar) para o Grego, pois é um dos poucos lugares de onde o Mar Morto e o Domo da Rocha podem ser avistados. Conseqüentemente sempre foi visto em termos de importância militar; Titus, da Primeira Cruzada, e General Allenby usaram o local como campo de lançamentos. Hoje em dia, cerca de 3.000 tropas de Allenby continuam a observar a cidade do cemitério impecável.

A Universidade Hebraica de Jerusalém foi fundada aqui em 1925, e de 1948 a 1967 foi um enclave Israelense em território Jordaniano. Depois de 1967, a Universidade e seu hospital foram fundados novamente e agora dominam o horizonte.

 

MONTE TABOR

O Monte Tabor era uma importante fronteira tribal na Bíblia Hebraica, o local onde Débora direcionou o inimigo, o local da transfiguração de Jesus e do Rabínico “centro do mundo”. Mesmo sem uma história ainda vale a pena subir e apreciar a vista maravilhosa.

Juízes Capítulo 4: 12 Anunciaram a Sísera que Baraque, filho de Abinoão, tinha subido ao monte Tabor. 13 Sísera, pois, ajuntou todos os seus carros, novecentos carros de ferro, e todo o povo que estava com ele, desde Harosete dos Gentios até o ribeiro de Quisom. 14 Então disse Débora a Baraque: “Levanta-te, porque este é o dia em que o Senhor entregou Sísera na tua mão; porventura o Senhor não saiu adiante de ti?” Baraque, pois, desceu do monte Tabor, e dez mil homens após ele. 15 E o Senhor desbaratou a Sísera, com todos os seus carros e todo o seu exército, ao fio da espada, diante de Baraque; e Sísera, descendo do seu carro, fugiu a pé. 16 Mas Baraque perseguiu os carros e o exército, até Harosete dos Gentios; e todo o exército de Sísera caiu ao fio da espada; não restou um só homem.

Marcos Capítulo 9: 2 Seis dias depois tomou Jesus consigo a Pedro, a Tiago, e a João, e os levou à parte sós, a um alto monte; e foi transfigurado diante deles; 3 as suas vestes tornaram-se resplandecentes, extremamente brancas, tais como nenhum lavandeiro sobre a terra as poderia branquear. 4 E apareceu-lhes Elias com Moisés, e falavam com Jesus. 5 Pedro, tomando a palavra, disse a Jesus: “Mestre, bom é estarmos aqui; faça-mos, pois, três cabanas, uma para ti, outra para Moisés, e outra para Elias”. 6 Pois não sabia o que havia de dizer, porque ficaram atemorizados. 7 Nisto veio uma nuvem que os cobriu, e dela saiu uma voz que dizia: “Este é o meu Filho amado; a ele ouvi”. 8 De repente, tendo olhado em redor, não viram mais a ninguém consigo, senão só a Jesus

 

MONTE CARMEL – MUKHRAKA – O LOCAL DA LUTA DE ELIAS E DA CAVERNA ONDE ELIAS FOI ALIMENTADO POR CORVOS.

1 Reis Capítulo 17: 2 Depois veio a Elias a palavra do Senhor, dizendo: 3 “Retira-te daqui, vai para a banda de oriente, e esconde-te junto ao ribeiro de Querite, que está ao oriente do Jordão. 4 Beberás do ribeiro; e eu tenho ordenado aos corvos que ali te sustentem”. 5 Partiu, pois, e fez conforme a palavra do Senhor; foi habitar junto ao ribeiro de Querite, que está ao oriente do Jordão. 6 E os corvos lhe traziam pão e carne pela manhã, como também pão e carne à tarde; e ele bebia do ribeiro. 7 Mas, decorridos alguns dias, o ribeiro secou, porque não tinha havido chuva na terra.

 

MULTIPLICAÇÃO DOS PÃES E PEIXES

A Igreja deste sítio é a réplica exata da basílica do século IV, construída para comemorar o milagre da alimentação de 5.000 homens. O mosaico do assoalho caracteriza um dos mais importantes temas do país – o cesto de pão ladeado por dois peixes, assim como o desenho de vida selvagem ao lado do Rio Nilo enquanto suas águas nivelam. A igreja está construída ao redor de uma rocha preta embaixo do altar, em reverência, já que a rocha está em cima do local onde Jesus abençoou e partiu o pão.

Mateus Capítulo 14: 15 Chegada a tarde, aproximaram-se dele os discípulos, dizendo: “O lugar é deserto, e a hora é já passada; despede as multidões, para que vão às aldeias, e comprem o que comer”. 16 Jesus, porém, lhes disse: “Não precisam ir embora; dai-lhes vós de comer”. 17 Então eles lhe disseram: “Não temos aqui senão cinco pães e dois peixes”. 18 E ele disse: “Trazei-mos aqui”. 19 Tendo mandado às multidões que se reclinassem sobre a relva, tomou os cinco pães e os dois peixes e, erguendo os olhos ao céu, os abençoou; e partindo os pães, deu-os aos discípulos, e os discípulos às multidões. 20 Todos comeram e se fartaram; e dos pedaços que sobejaram levantaram doze cestos cheios. 21 Ora, os que comeram foram cerca de cinco mil homens, além de mulheres e crianças.

 

MURO DAS LAMENTAÇÕES E O TÚNEL DO MURO DAS LAMENTAÇÕES

“Impressionado” é como muitos descrevem os seus sentimentos no Muro das Lamentações, o último remanescente do Templo de Jerusalém que Jesus conheceu, destruído há 2000 anos atrás pelos romanos.

A visão  das multidões rezando aqui inspirou muitos visitantes e fazer a sua própria oração, no espírito da súplica do Rei Salomão, que Deus escute a todos neste local sagrado (1 Reis 8:41-43).

O resto dos 443,50 metros do muro lhe espera no Túnel do Muro das Lamentações, que se encontra perto dali. Um modelo fascinante lhe lembra a peregrinação da Páscoa da criança Jesus (Lucas 2:46); você verá o lugar onde Pedro curou um mendigo (Atos 3:7) e onde Jesus confrontou os mercadores e os  cambistas (João 2:3-6; Mateus  21:12-13).

Os túneis são aqueles que foram criados por numerosos arcos, lado a lado, suportando as escadas que vão da cidade ao Monte do Templo. Em tempos antigos havia uma vale encoberto chamado Tyropaean que ia ao largo do lado ocidental do Monte do Templo (agora preenchido devido a constante demolição e reconstrução) que separava o rico bairro herodiano do Templo, e a necessidade de e construir uma ponte foi que fez com que os arcos fossem construídos. Estes caminhos ainda suportam as ruas hoje, e o túnel vai diretamente para baixo do bairro muçulmano.

Enquanto se anda pelo túnel, junto com o muro antigo, é possível parar do lado oposto do Santo dos Santos, e ver um piso construído por Herodes Agripa (Atos 12:21) e as fundações do Praetorium (Mateus  27:27). Esta é uma combinação única imperdível do histórico e do espiritual, e mesmo assim muito típica para a Cidade Santa.

 

NA’IN

Local de uma igreja Bizantina que comemorou a primeira ressurreição feita por Jesus, de um homem vindo dos mortos, os Franciscanos construíram uma nova Igreja no século passado.

 

Lucas Capítulo 7

11 Pouco depois seguiu ele viagem para uma cidade chamada Naim; e iam com ele seus discípulos e uma grande multidão. 12 Quando chegou perto da porta da cidade, eis que levavam para fora um defunto, filho único de sua mãe, que era viúva; e com ela ia uma grande multidão da cidade. 13 Logo que o Senhor a viu, encheu-se de compaixão por ela, e disse-lhe: “Não chores”. 14 Então, chegando-se, tocou no esquife e, quando pararam os que o levavam, disse: “Moço, a ti te digo: Levanta-te”. 15 O que estivera morto sentou-se e começou a falar. Então Jesus o entregou à sua mãe. 16 O medo se apoderou de todos, e glorificavam a Deus, dizendo: “Um grande profeta se levantou entre nós; e: Deus visitou o seu povo”. 17 E correu a notícia disto por toda a Judéia e por toda a região circunvizinha.

 

NAZARÉ – IGREJA DA VISITAÇÃO 

Ein Kerem teve por um longo tempo uma associação com João o Batista, sendo a cidade relatada de seu nascimento. Essa igreja homenageia a visita feita por Maria, Mãe de Jesus, á Isabel, mãe de João. Como este é o ponto em que Maria despeja sobre ela sua canção de elogios, esta magnífica igreja é lindamente ornamentada com representações nos ladrilhos daquele cântico em quase todos os idiomas conhecidos.
Lucas Capítulo 1

39 Naqueles dias levantou-se Maria, foi apressadamente à região montanhosa, a uma cidade de Judá, 40 entrou em casa de Zacarias e saudou a Isabel. 41 Ao ouvir Isabel a saudação de Maria, saltou a criancinha no seu ventre, e Isabel ficou cheia do Espírito Santo, 42 e exclamou em alta voz: Bendita és tu entre as mulheres, e bendito é o fruto do teu ventre! 43 E donde me provém isto, que venha visitar-me a mãe do meu Senhor? 44 Pois logo que me soou aos ouvidos a voz da tua saudação, a criancinha saltou de alegria dentro de mim. 45 Bem-aventurada aquela que creu que se hão de cumprir as coisas que da parte do Senhor lhe foram ditas. 46 Disse então Maria: A minha alma engrandece ao Senhor, 47 e o meu espírito exulta em Deus meu Salvador; 48 porque atentou na condição humilde de sua serva. Desde agora, pois, todas as gerações me chamarão bem-aventurada, 49 porque o Poderoso me fez grandes coisas; e santo é o seu nome. 50 E a sua misericórdia vai de geração em geração sobre os que o temem. 51 Com o seu braço manifestou poder; dissipou os que eram soberbos nos pensamentos de seus corações; 52 depôs dos tronos os poderosos, e elevou os humildes. 53 Aos famintos encheu de bens, e vazios despediu os ricos. 54 Auxiliou a Isabel, seu servo, lembrando-se de misericórdia. 55 (como falou a nossos pais) para com Abraão e a sua descendência para sempre. 56 E Maria ficou com ela cerca de três meses; e depois voltou para sua casa

 

IGREJA ORTODOXA SÍRIA DE SÃO MARCOS 

Essa pequena igreja é um outro possível local para o salão onde a Última Ceia tenha acontecido e contém uma inscrição cristã em pedra testemunhando uma antiga reverência ao lugar. Certamente o salão que eles tem é mais antigo do que o do Cenáculo (Cruzados –século 12) e como agora este salão é subterrâneo, a altitude relativa está correta.(as ruas do primeiro século em Jerusalém eram no mínimo 3,6 metros abaixo das ruas atuais, portanto qualquer edifício verdadeiro daquela época teria seu andar superior atualmente embaixo da terra).Eles também possuem uma honrosa imagem sacra  da Virgem Maria, supostamente pintado  por São Lucas.

Marcos Capítulo 14

12 Ora, no primeiro dia dos pães ázimos, quando imolavam a páscoa, disseram-lhe seus discípulos: Aonde queres que vamos fazer os preparativos para comeres a páscoa?13 Enviou, pois, dois dos seus discípulos, e disse-lhes: Ide à cidade, e vos sairá ao encontro um homem levando um cântaro de água; segui-o;14 e, onde ele entrar, dizei ao dono da casa: O Mestre manda perguntar: Onde está o meu aposento em que hei de comer a páscoa com os meus discípulos?15 E ele vos mostrará um grande cenáculo mobiliado e pronto; aí fazei-nos os preparativos.16 Partindo, pois, os discípulos, foram à cidade, onde acharam tudo como ele lhes dissera, e prepararam a páscoa.17 Ao anoitecer chegou ele com os doze.18 E, quando estavam reclinados à mesa e comiam, disse Jesus: Em verdade vos digo que um de vós, que comigo come, há de trair-me.19 Ao que eles começaram a entristecer-se e a perguntar-lhe um após outro: Porventura sou eu?20 Respondeu-lhes: É um dos doze, que mete comigo a mão no prato.21 Pois o Filho do homem vai, conforme está escrito a seu respeito; mas ai daquele por quem o Filho do homem é traído! Bom seria para esse homem se não houvera nascido.22 Enquanto comiam, Jesus tomou pão e, abençoando-o, o partiu e deu-lho, dizendo: Tomai; isto é o meu corpo.23 E tomando um cálice, rendeu graças e deu-lho; e todos beberam dele.24 E disse-lhes: Isto é o meu sangue, o sangue do pacto, que por muitos é derramado.25 Em verdade vos digo que não beberei mais do fruto da videira, até aquele dia em que o beber, novo, no reino de Deus.

 

PORTÃO DOURADO

Este portão situado no lado ocidental do Monte do Templo teria sido uma entrada para padres quando eles vinham rezar. Todas as três crenças monoteístas têm nutrido tradições sobre a vinda do messias ascender sobre o portão antes de declarar o julgamento sobre o Monte do Templo.

 

POÇO DE MARIA

O Poço de Santa Maria foi quase que a única fonte de água em Nazaré nos tempos antigos, portanto é quase certo afirmar que Maria costumava retirar água deste local. Escavações recentes mostram que todo o complexo era muito maior do que originalmente havia se pensado, e a parte onde a Igreja Grega Ortodoxa foi construída é apenas um pequeno espaço da área da fonte.

 

POÇO DE WARREN

O Poço de Warren é um sistema hidráulico subterrâneo que data da época dos reis da Judéia. A entrada cruza um túnel descendo para um poço vertical, que termina no nível da nascente do Gihon.

O poço de Warren é possivelmente o sistema de água dos Jebusitas que David usou para conquistar a cidade, mas acredita-se que os habitantes da terra daquela época não possuíam a tecnologia para construir tal aparato. O poço possibilitava às pessoas retirarem água da nascente do Gihon sem sair da cidade, fato muito importante em épocas de guerra, e foi redescoberto no século passado por um oficial britânico de nome Capitão Warren.

 

2 Samuel 5

6 Depois partiu o rei com os seus homens para Jerusalém, contra os jebuseus, que habitavam naquela terra, os quais disseram a Davi: “Não entrarás aqui; os cegos e es coxos te repelirão”; querendo dizer: “Davi de maneira alguma entrará aqui”. 7 Todavia Davi tomou a fortaleza de Sião; esta é a cidade de Davi. 8 Ora, Davi disse naquele dia: “Todo o que ferir os jebuseus, suba ao canal, e fira a esses coxos e cegos, a quem a alma de Davi aborrece”. Por isso se diz: “Nem cego nem coxo entrará na casa”. 9 Assim habitou Davi na fortaleza, e chamou-a Cidade de Davi; e foi levantando edifícios em redor, desde Milo para dentro. 10 Davi ia-se engrandecendo cada vez mais, porque o Senhor Deus dos exércitos era com ele.

 

POUSADA DO BOM SAMARITANO

Prédio Turco do século XIX foi chamado de “Pousada do Bom Samaritano” pelos Cristãos que desejavam tentar ilustrar o cenário se Jesus contava uma história real e não uma parábola. Esta habitação (caravansarai = pousada para caravanas) que até recentemente estava no meio do nada parecia preencher o perfil.

Lucas Capítulo 10

25 E eis que se levantou certo doutor da lei e, para o experimentar, disse: “Mestre, que farei para herdar a vida eterna?” 26 Perguntou-lhe Jesus: “Que está escrito na lei? Como lês tu?” 27 Respondeu-lhe ele: “Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todas as tuas forças e de todo o teu entendimento, e ao teu próximo como a ti mesmo”. 28 Tornou-lhe Jesus: “Respondeste bem; faze isso, e viverás”. 29 Ele, porém, querendo justificar-se, perguntou a Jesus: “E quem é o meu próximo?” 30 Jesus, prosseguindo, disse: “Um homem descia de Jerusalém a Jericó, e caiu nas mãos de salteadores, os quais o despojaram e espancando-o, se retiraram, deixando-o meio morto. 31 Casualmente, descia pelo mesmo caminho certo sacerdote; e vendo-o, passou de largo. 32 De igual modo também um levita chegou aquele lugar, viu-o, e passou de largo. 33 Mas um samaritano, que ia de viagem, chegou perto dele e, vendo-o, encheu-se de compaixão; 34 e aproximando-se, atou-lhe as feridas, deitando nelas azeite e vinho; e pondo-o sobre a sua cavalgadura, levou-o para uma estalagem e cuidou dele. 35 No dia seguinte tirou dois denários, deu-os ao hospedeiro e disse-lhe: ‘Cuida dele; e tudo o que gastares a mais, eu to pagarei quando voltar.’ 36 Qual, pois, destes três te parece ter sido o próximo daquele que caiu nas mãos dos salteadores?” 37 Respondeu o doutor da lei: “Aquele que usou de misericórdia para com ele”. Disse-lhe, pois, Jesus: “Vai, e faze tu o mesmo”.

QASR EL YAHUD

Este é provavelmente o local do batismo de Jesus feito por João, mas como agora infelizmente está  no meio de uma fronteira internacional, as igrejas só podem vir em dias festivos. Para o batismo em grupo o governo abriu um local substituto em Yadernit, perto do Mar da Galiléia.

 

Mateus Capítulo 3

13 Então veio Jesus da Galiléia ter com João, junto do Jordão, para ser batizado por ele. 14 Mas João o impedia, dizendo: “Eu é que preciso ser batizado por ti, e tu vens a mim?” 15 Jesus, porém, lhe respondeu: “Consente agora; porque assim nos convém cumprir toda a justiça”. Então ele consentiu. 16 Batizado que foi Jesus, saiu logo da água; e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito Santo de Deus descendo como uma pomba e vindo sobre ele;17 e eis que uma voz dos céus dizia: “Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo”.

 

QUMRAN

É um sítio histórico e arqueológico. Este importante sítio fica na costa do Mar Morto e incluem os restos de uma vila e cavernas onde os famosos pergaminhos do Mar Morto foram descobertos. Um antigo assentamento em Khirbet Qumran que começou em 186 AEC e foi até 70 AD pela seita (Essênios), que fizeram o corpo do que hoje é conhecido como Pergaminhos do Mar Morto

De acordo com algumas estimativas, o composto abrigava até 200 homens sobrevivendo do círculo Judaico de oração em privacidade, celibato, em direta oposição aos sacerdotes do templo em Jerusalém. O local serve quase que como uma perfeita elucidação das implicações práticas da doutrina deixadas nos escritos desta seita

 

SHIVTA

Os restos ressecados pelo sol desta antiga comunidade do deserto não param de maravilhar os visitantes. Juntamente com suas cidades irmãs Avdat e Mashmit, Shivta começou a existir como uma parada de caravanas no Neguev para os Nabateus, mestres da Rota do Incenso, e floresceram depois que o Cristianismo veio para o Neguev no século 4.

Essas três cidades e a Rota do Incenso foram recentemente inscritas na prestigiada lista da UNESCO como Patrimônio da Humanidade. O povo de Shivta era basicamente de agricultores, que produziam uma variedade de colheitas juntando cada rara e preciosa gota de chuva; o seu espremedor de uvas ainda pode ser visto. Shivta possuía duas igrejas; a magnífica Igreja do Norte tinha mármore cobrindo as paredes e exibia relíquias sagradas que Cristãos vinham de muito longe para ver. Uma enorme pia batismal em forma de cruz também foi descoberta, desbastada de uma única pedra, juntamente com lápides de mármore do clero que lá serviam. Uma trilha de 730 metros leva a um contemporâneo pomar ao norte do sitio, que utiliza métodos antigos para plantação de alfarrobas, figos, amêndoas, ameixas, azeitonas, romãs, pêssegos, damascos e uvas.

 

TANQUES DE BETESDA

Este é o local da miraculosa cura, feita por Jesus, de um homem paralítico, como foi recontado exclusivamente no Evangelho de João, e também sobre o nascimento de Anna, Mãe de Maria. O solo possui grandes escavações revelando os cinco tanques originais e sucessivas ruínas dos Bizantinos, igrejas medievais e das cruzadas, construídas sobre os tanques assim como um sistema de aqueduto que data do século VIII AEC que fazia o suprimento de água para o templo. As camadas estão etiquetadas e sinalizadas por cores e são fáceis de serem seguidas, mas sobrepujando a tudo isto está a mais pura de todas as igrejas da época das cruzadas do país.

A igreja de Santa Anna foi construída pelos cruzados sobre um canteiro adjacente à igreja Bizantina destruída por Hakim (que teve uma pequena capela construída sobre o mesmo local). Não muito depois, Salah id-Din invadiu a cidade e em 1192 a igreja foi transformada em uma escola islâmica (o registro de abertura ainda existe sobre a porta). Nos anos subseqüentes, a igreja caiu em desuso, mas miraculosamente nunca foi destruída. Dessa forma permaneceu até 1856 quando o Governo Otomano, procurando uma forma de expressar sua gratidão para com a França pela ajuda prestada em crimes de guerra, doou a igreja e até hoje a mesma é conduzida por padres Franceses.

Os tanques das ovelhas eram um “hospital” (Aesclepion) Grego com fundamento em parte pelas curas milagrosas feitas por intervenções divinas, parte pelos aspectos essenciais de reclusão e descanso, e parte nas teorias que estiveram em voga pelos Analistas Junguianos.

João Capítulo 5

2 Ora, em Jerusalém, próximo à porta das ovelhas, há um tanque, chamado em hebraico Betesda, o qual tem cinco alpendres. 3 Nestes jazia grande multidão de enfermos, cegos, mancos e ressecados, esperando o movimento da água. 4 Porquanto um anjo descia em certo tempo ao tanque, e agitava a água; então o primeiro que ali descia, depois do movimento da água, sarava de qualquer enfermidade que tivesse. 5 Achava-se ali um homem que, havia trinta e oito anos estava enfermo. 6 Jesus, vendo-o deitado e sabendo que estava assim havia muito tempo, perguntou-lhe: “Queres ficar são?” 7 Respondeu-lhe o enfermo: “Senhor, não tenho ninguém que, ao ser agitada a água, me ponha no tanque; assim, enquanto eu vou, desce outro antes de mim”. 8 Disse-lhe Jesus: “Levanta-te, toma o teu leito e anda”. 9 Imediatamente o homem ficou são; e, tomando o seu leito, começou a andar. Ora, aquele dia era sábado. 10 Pelo que disseram os judeus ao que fora curado: “Hoje é sábado, e não te é lícito carregar o leito”. 11 Ele, porém, lhes respondeu: “Aquele que me curou, esse mesmo me disse: ‘Toma o teu leito e anda’”. 12 Perguntaram-lhe, pois: “Quem é o homem que te disse: ‘Toma o teu leito e anda’?” 13 Mas o que fora curado não sabia quem era; porque Jesus se retirara, por haver muita gente naquele lugar. 14 Depois Jesus o encontrou no templo, e disse-lhe: “Olha, já estás curado; não peques mais, para que não te suceda coisa pior”. 15 Retirou-se, então, o homem, e contou aos judeus que era Jesus quem o curara. 16 Por isso os judeus perseguiram a Jesus, porque fazia estas coisas no sábado. 17 Mas Jesus lhes respondeu: “Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também”. 18 Por isso, pois, os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque não só violava o sábado, mas também dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus.

 

TORRE DE DAVID  –  MUSEU

No Museu da Torre de David, as exibições cativantes fazem mais do que aumentar o  conhecimento sobre Jerusalém; as próprias pedras são parte da história viva da cidade. O complexo que abriga o museu, localizado no Portão de Jafa (Iafo) da Cidade Velha,atravessa os séculos: as suas muralhas, de quase 500 anos de idade, são parte da cidadela turca; seu nome deriva de uma torre que era tão massiva, que os cidadãos da antiga Jerusalém a atribuíam ao grande Rei David (ironicamente o seu construtor foi o odiado Rei Herodes); o pináculo sobre a torre se tornou um símbolo mundial de Jerusalém depois do general britânico Allenby marchar para Jerusalém sob sua sombra, em 1917.

A visita pode começar com uma vista maravilhosa da antiga e da nova Jerusalém do topo da torre do museu. Depois se pode explorar as exibições, nas quais os vídeos, os dioramas e a gráfica computadorizada se juntam para iluminar as complexidades de uma cidade especial nos anais da história humana. Cada sala antiga foi reformada para mostrar um período diferente, permitindo aos eventos tempestuosos de 4000 anos se arrumarem, perfeitamente, na nossa cabeça. As janelas mostram vislumbres da Jerusalém moderna, e a cada sala que é atravessada, volta-se ao pátio central da cidadela, onde os arqueologistas desenterraram achados que vão da época dos macabeus à Idade Média. O museu também utiliza o seu espaço singular para exibições multi sensoriais de designers e artistas de Israel e do exterior e para realizar festividades privadas memoráveis.

Mais informações em www.towerofdavid.org.il

 

TUMBA DE DAVID

A Tumba do Rei David é um local recente (medieval) que pode não ter sido o verdadeiro local do sepultamento, pois o Rei David foi enterrado na Cidade de David que fica mais longe ao sul e a leste. De qualquer forma, esta tumba está estranhamente situada no mesmo prédio bizantino que abriga o Cenáculo. A constante presença de peregrinos Judeus ao sítio aumenta significantemente nas festividades religiosas de Shavuot (pentecostes), tradicionalmente o aniversário da morte do Rei David.

 

1 Reis Capítulo 2

10 Depois Davi dormiu com seus pais, e foi sepultado na cidade de Davi. 11 E foi o tempo que Davi reinou sobre Israel quarenta anos: sete anos reinou em Hebrom, e em Jerusalém reinou trinta e três anos. 12 Salomão, pois, assentou-se no trono de Davi, seu pai; e o seu reino se fortificou sobremaneira.

 

TÚNEIS DO MURO OCIDENTAL

Os túneis são aqueles que foram criados por numerosos arcos lado-a-lado, sustentando escadarias que vêm da cidade até o Monte do Templo. Na antiguidade havia um vale raso chamado Tyropaean, que corria ao longo do lado ocidental do Monte do Templo (agora preenchido em razão de constantes demolições e reconstruções), que separava o quarteirão rico herodiano do quarteirão do Templo, e havia a necessidade de construir uma ponte sobre ele que ocasionou a construção dos arcos. Esses trajetos ainda seguram as ruas de hoje, e o túnel vai diretamente por baixo para o quarteirão muçulmano.

 

TABGHA

A quieta angra coberta de Tabgha, na costa norte do Mar da Galileiaé o local de muitas histórias do Evangelho, incluindo a Multiplicação dos Pães e dos Peixes.

Os primeiros cristãos marcaram o local deste milagre (Mateus 14:15-21; Marcos 6:35-44; João 6:1-14) com uma igreja que contém mosaicos magníficos. O pequeno mosaico dos pães e peixes, que marca o local onde Jesus abençoou o pão, se tornou um símbolo amado deste local e do milagre.

Os visitantes adoram andar pelo calçadão de Tabgha-Cafernaum, construído pelo Ministério do Turismo, para outra parte da angra de Tabgha e a0 Igreja da Primacia de Pedro. Este é o local tradicional dos eventos de João 21 depois da ressurreição – Jesus preparando o café da manhã para os seus discípulos, a pesca miraculosa e a reconciliação de Pedro.

Tabgha vem de uma palavra grega que significa “sete fontes”. Uma, a Fonte de Jó, surge dentro do lago, uma caminhada curta em direção leste pelo calçadão.

 

VALE DE ELAH – CENÁRIO DA BATALHA ENTRE DAVID E GOLIAS.

1 Samuel Capítulo 17

1 Ora, os filisteus ajuntaram as suas forças para a guerra e congregaram-se em Socó, que pertence a Judá, e acamparam entre Socó e Azeca, em Efes-Damim. 2 Saul, porém, e os homens de Israel se ajuntaram e acamparam no vale de Elá, e ordenaram a batalha contra os filisteus. 3 Os filisteus estavam num monte de um lado, e os israelitas estavam num monte do outro lado; e entre eles o vale. 4 Então saiu do arraial dos filisteus um campeão, cujo nome era Golias, de Gate, que tinha de altura seis côvados e um palmo. 5 Trazia na cabeça um capacete de bronze, e vestia uma couraça escameada, cujo peso era de cinco mil siclos de bronze. 6 Também trazia grevas de bronze nas pernas, e um dardo de bronze entre os ombros. 7 A haste da sua lança era como o órgão de um tear, e a ponta da sua lança pesava seiscentos siclos de ferro; adiante dele ia o seu escudeiro. 8 Ele, pois, de pé, clamava às fileiras de Israel e dizia-lhes: “Por que saístes a ordenar a batalha? Não sou eu filisteu, e vós servos de Saul? Escolhei dentre vós um homem que desça a mim. 9 Se ele puder pelejar comigo e matar-me, seremos vossos servos; porém, se eu prevalecer contra ele e o matar, então sereis nossos servos, e nos servireis”. 10 Disse mais o filisteu: “Desafio hoje as fileiras de Israel; dai-me um homem, para que nós dois pelejemos”. 11 Ouvindo, então, Saul e todo o Israel estas palavras do filisteu, desalentaram-se, e temeram muito.

 

No vale de Elah, onde a Bíblia diz que Davi matou Golias, escavações na cidade de Khirbet Qeiyafa encontraram em 2008 uma entrada com várias câmaras e artefatos datados da época de Davi, por volta de 1000 a.C.

A gruta que com freqüência serviu como sede secreta a Davi e seus 400 ou 600 de seus homens, tem sido situada tradicionalmente no deserto da Judéia, sobre o inclinado precipício sul de Wadi Khareitun, a 1,2 quilometro ao sul do Herodium, e a cinco quilômetros a noroeste de Tecoa.

Há uma rusticidade oculta e rara nas proximidades do lugar, com fragmentos maciços de rocha espalhados na gruta, que está situada em um penhasco comprido e estreito na parte de cima da base do barranco. Uma enorme pedra rachada de muitas toneladas de peso, quase obstrui a entrada da gruta. Perto dali, há um manancial de água corrente, clara e fresca.

O Único acesso à cova é através de uma abertura circular de uns 2,2 metros de altura. Na parte de dentro há uma passagem sobre o estreito que conduz a uma cova pequena, e partindo dela uma passagem serpenteando leva a um grande quarto, que mede aproximadamente 473 metros quadrados. Existem passagens estreitas que se ramificam e conduzem a outros quartos de grande tamanho, alguns dos quais se encontram em níveis mais baixos, e com espaço suficiente na parte interior para 1000 homens. O lugar parece reunir as características que lhe são dadas nos relatos bíblicos, onde Davi se ocultava com freqüência do rei Saul.

 

DESCOBERTA CIDADE QUE PROVARIA EXISTÊNCIA DO REINO DE DAVI

Ethan Bronner

No verdejante vale de Elah, onde a Bíblia diz que Davi derrotou Golias, arqueólogos estão escavando uma cidade fortificada de três mil anos de idade que pode mudar as idéias quanto ao período em Davi reinou sobre os israelitas. Cinco linhas inscritas em cerâmica, localizadas em Khirbet Qeiyafa, podem representar o mais antigo texto em hebraico já encontrado, e é provável que tenham forte impacto sobre a história da alfabetização e do desenvolvimento do alfabeto.
Apenas uma pequena porção do sítio foi escavada, e as descobertas ainda não foram publicadas ou avaliadas publicamente. Mas a escavação, comandada por Yosef Garfinkel, da Universidade Hebraica de Jerusalém, já causa interesse entre seus colegas e entusiasmo entre aqueles que pretendem usar a Bíblia como guia histórico e confirmação de sua fé.

O século 10 a.C. é o período mais controverso na arqueologia bíblica, porque foi então, de acordo com o Velho Testamento, que Davi uniu os reinos de Judá e Israel, abrindo caminho para que seu filho Salomão construísse seu grande templo e reinasse sobre uma extensa área que se estendia do rio Nilo ao rio Eufrates

Fonte: Bíblia Thompson, suplemento arqueológico

Dicionário Bíblico – Editora Betânia

 

YARDENIT – LOCAL DE BATISMO PARA OS PEREGRINOS CRISTÃOS

O Yardenit é o único e registrado sítio de batismo para os peregrinos cristãos, no lugar onde o Rio Jordão flui para fora do Mar da Galileia e para dentro do Mar Morto.

O Yardenit é um cruzamento para muitos peregrinos, um entre outros lugares sagrados em volta do Mar da Galileia, tal como Cafernaum, Tabgha e o Monte das Bem-Aventuranças.

Todos os anos meio milhão de turistas do mundo todo visitam este sítio.

O local batismal se localiza nas margens do Rio Jordão, entre magníficos eucaliptos e a flora natural do rio. É um local ideal para se parar e pensar, com serenidade e tranquilidade.

Instalações confortáveis e adequadas estão disponíveis para cerimônias religiosas nas margens do Rio Jordão.

A visita ao Yardenit é especial e uma experiência de vida muito impressionante, para todos os
visitantes.

 

VIA DOLOROSA

A Via Dolorosa, o caminho que Jesus andou do local onde Poncio Pilatos o sentenciou ao Calvário (Gólgota), significa “trajeto do sofrimento”. O belo hino que começa “Em uma montanha distante…” já levou muitos a retratar esta última trajetória como uma cena calma, bucólica, um caminho que se dirige a seu modo, talvez entre antigas árvores de oliveiras, ao alto da montanha onde cruzes foram colocadas rigidamente contra o céu. Andar na verdadeira rua na Velha Jerusalém que carrega o nome “Via Dolorosa” significa pôr essas imagens de lado, mas esperançosamente substituí-las com outra, muito mais significativa, que lhe trará mais perto dos momentos que você irá guardar como preciosos.

Você pode achar que a rua seja barulhenta – com vendedores disputando sua atenção anunciando suas mercadorias. Antigos edifícios de pedra levantam-se de ambos os lados, e ao invés de uma alameda com árvores enfileiradas, degraus aparentemente sem fim ascendem através da cidade. Visitantes cristãos ficam às vezes assustados ao perceber que isso não é novo; na verdade, é exatamente o que Jesus teria visto naquela sexta-feira. Era semana de Pessach; Jerusalém estava explodindo de tantos peregrinos. Muitos teriam desviado o olhar por medo dos Romanos. Na verdade, os Romanos forçaram Simão, o Cirineu a carregar a cruz (Marcos 15:21).

Desde que os Cristãos têm vindo à Cidade Santa, eles têm andado os últimos passos de Jesus. Nos últimos 1000 anos, no mínimo, tem sido o mesmo caminho que os visitantes fazem nos dias de hoje. Ao longo do tempo, as estórias sagradas tornaram-se pontos de referência sagrados – as Estações da Cruz.(Via Crucis).

São catorze estações. A primeira é o Pretório, onde Pilatos condenou Jesus e Jesus pegou a cruz (Marcos 15:15). Um convento está agora sobre esta pequena parte dessa imensa fortaleza. Em seu porão existem antigas lajes conhecidas tradicionalmente por Gabata (João 19:13) ou pedras de pavimentação. Abaixo do pavimento está uma gigantesca cisterna de água construída por Herodes o Grande, que deve ter saciado a sede dos soldados Romanos que escarneceram de Jesus.(Mateus 27:27-31).

Surgindo da Antiguidade, cerca de 6 metros abaixo da rua atual, os visitantes encontram as Estações da Cruz modestamente marcadas. Quando a Municipalidade de Jerusalém encontrou pedras antigas durante um trabalho de manutenção há alguns anos atrás, eles pavimentaram a Via Dolorosa com elas – o melhor para mostrar os sítios sagrados aos visitantes Cristãos. Passado o Pretório, vem a terceira estação onde Jesus caiu com a cruz; a tradição diz que este evento foi recorrente e é marcado por mais duas estações. A quarta estação é onde Simão ajudou-o a carregar a cruz. Cada estação e sua estória: Jesus encontra Maria, uma mulher nobre de Jerusalém enxuga o suor da fronte de Jesus, Jesus fala com a mulher de Jerusalém (Lucas 23:27-30), e assim por diante até as últimas estações da crucificação e sepultamento, localizadas dentro da antiga Igreja do Santo Sepulcro.

O cenário da Vila Dolorosa apesar – ou por causa – da sua atual atmosfera, oferece uma autêntica sensação de Jerusalém como Jesus experimentou a cidade em suas horas finais.

 

Lucas Capítulo 23

26 Quando o levaram dali tomaram um certo Simão, cireneu, que vinha do campo, e puseram-lhe a cruz às costas, para que a levasse após Jesus. 27 Seguia-o grande multidão de povo e de mulheres, as quais o pranteavam e lamentavam. 28 Jesus, porém, voltando-se para elas, disse: “Filhas de Jerusalém, não choreis por mim; chorai antes por vós mesmas, e por vossos filhos. 29 Porque dias hão de vir em que se dirá: ‘Bem-aventuradas as estéreis, e os ventres que não geraram, e os peitos que não amamentaram!’ 30 Então começarão a dizer aos montes: ‘Caia sobre nós’; e aos outeiros: ‘Cobri-nos’. 31 Porque, se isto se faz no lenho verde, que se fará no seco?” 32 E levavam também com ele outros dois, que eram malfeitores, para serem mortos. 33 Quando chegaram ao lugar chamado Caveira, ali o crucificaram, a ele e também aos malfeitores, um à direita e outro à esquerda.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s